Número de afetados por temporal e granizo no RS se aproxima de 20 mil

O novo relatório com informações dos prejuízos nos municípios divulgado na manhã desta quarta-feira (17).

Compartilhe:
Danos causados pelo temporal em Cachoeirinha. Foto: Weslei Correa / Prefeitura de Cachoeirinha

O número de pessoas afetadas pelo tempo instável da segunda-feira (15) se aproxima de 20 mil, segundo balanço da Defesa Civil. O novo relatório com informações dos prejuízos nos municípios divulgado na manhã desta quarta-feira (17).

A principal alteração é o acréscimo dos danos do município de Gravataí, na região metropolitana. Ao menos 250 residências foram destelhadas na cidade em razão do vento forte. Também foram registradas queda de árvores e de postes de energia elétrica. Muitos pontos seguem sem luz.

Também foram incluídos dados de Eldorado do Sul, onde prédios públicos privados e empresas sofreram danos devido a chuva de granizo. Ao menos 48 pessoas foram atingidas pela tempestade. Doze estão desalojadas, ou seja, tiveram que deixar suas casas por causa do temporal.

Em Mariana Pimentel, também há desalojados. São 8 pessoas (2 famílias) que estão na casa de parentes. Os imóveis onde elas residiam tiveram os telhados danificados.

Cachoeirinha, que também foi fortemente atingida pela tempestade de segunda-feira, ainda não enviou à Defesa Civil o levantamento dos danos causados pelo vento e pelo granizo. Conforme a Prefeitura do município, os ventos passaram dos 80 km/h. Os bairros mais atingidos foram o Jardim do Bosque, Canarinho e Chico Mendes. Foi decretada situação de emergência no município.

Cidades mais atingidas pelo temporal

A cidade com maior número de pessoas atingidas é Rio Pardo, no Vale do Rio Pardo. A Defesa Civil contabiliza danos em cerca de 2 mil residências e 8 mil afetados. Mais de 12 mil m² (metros quadrados) de lona e 90 cobertores foram entregues para o município. A cidade decretou calamidade pública por causa do temporal com granizo por volta das 18h da noite de segunda. A Prefeitura comprou telhas para realizar a troca das coberturas danificadas pela tempestade.

No entanto, a cidade com maior número de imóveis danificados é Canoas, na região metropolitana. São, pelo menos, 2,3 mil imóveis com danos em telhados e 6,9 mil pessoas atingidas. Todos os locais receberam lonas, segundo o órgão de proteção civil. Os bairros mais afetados foram Estância Velha, Olaria, Guajuviras e Mathias Velho. Seis escolas foram muito danificadas pelo temporal e só retomam as aulas na semana que vem (22). As instituições de ensino que sofreram com as precipitações e com o forte vento são as EMEFs Rondônia, Irmão Pedro, Guajuviras, Erna Wurth, Walter Perrachi e a EMEI Teresinha Tergolina. Na sexta-feira, elas passarão por uma nova avaliação estrutural.


Compartilhe: