Temporal que atingiu a região metropolitana teve rajadas de 120 km/h

Além do vento forte, o temporal foi acompanhado por granizo em diversos municípios do Rio Grande do Sul.

Compartilhe:
Eucalipto foi arrancado pela raiz na estrada do Nazário, em Canoas. Foto: reprodução de vídeo / RBS TV

O temporal que atingiu a região metropolitana de Porto Alegre na noite de segunda-feira teve rajadas de vento até 120 quilômetros por hora. Além do vento forte, o temporal foi acompanhado por granizo em diversos municípios.

Conforme a Climatempo, o temporal foi causado pela formação de nuvens cumulonimbus muito carregadas que avançaram sobre o Rio Grande do Sul. As instabilidades se formaram por causa da combinação do deslocamento de uma frente fria associada a intensa entrada de ventos quentes sobre Sul do Brasil, vindos do Norte do país. Além disso, “houve a circulação de ventos em vários níveis da atmosfera que forçou a concentração de umidade e o grande desenvolvimento vertical das nuvens”, de acordo com a empresa de meteorologia.

Em Canoas, as rajadas de vento chegaram aos 120,5 quilômetros por hora, que foram registrados pela Base Aérea de Canoas. São José dos Ausentes, nos Campos de Cima da Serra, teve vento de 92km/h. Soledade, na região Norte, 91 km/h.

Estragos por causa do vento na região metropolitana

Canoas é a cidade que concentra maior parte dos estragos pelo vento. Houve registro de quedas de árvores em diversos pontos da cidade. O Hospital Nossa Senhora das Graças foi danificado durante o temporal. Vários postes caíram na BR-116, em Canoas entre os quilômetros 264 e 265, entre a rua Siqueira Campos e o viaduto da Metrovel (também conhecido como viaduto da Cautol).

Já em Cachoeirinha, o vendaval causou queda de árvores e postes e uma torre de transmissão de energia. Parte da cidade está sem luz. A avenida Frederico Augusto Ritter está parcialmente interditada por causa da queda de postes de energia elétrica.

Em Gravataí, também houve estragos por causa do vento forte. A Casa do Bem, local que abriga moradores de rua à noite, foi totalmente destelhada, e os usuários do serviço estão sendo realocados para o CTG Carreteiros da Saudade. A escola Municipal Antônio Aires teve quatro salas de aula destelhadas, assim como algumas repartições públicas.

Conforme a previsão do tempo, segue o alerta de temporal para diversas regiões do Rio Grande do Sul nas próximas horas.

Prejuízos por causa do granizo

Rio Pardo é a cidade mais atingida pelo granizo. As aulas foram suspensas pelo prefeito Rogério Monteiro. O município decretou Estado de Emergência devido ao temporal de granizo. De acordo com a Defesa Civil, um levantamento preliminar aponta que o número de atingidos passa de 2 mil famílias que procuraram o Quartel dos Bombeiros e a Assistência Social em busca de ajuda para cobrir as casas danificadas.


Compartilhe: