Falta de planejamento faz Ministério da Saúde determinar reserva de vacinas da Oxford para aplicação da segunda dose

A partir de uma nova determinação do Ministério da Saúde, o governo do Rio Grande do Sul cancelou a distribuição de 243.400 doses da Oxford

Compartilhe:

A falta de planejamento e comunicação estão tornando a campanha de vacinação contra o novo coronavírus uma bagunça no Brasil.

Além de prejudicar os planos dos governos estaduais, essa desorganização está dificultando para os jornalistas, que a cada momento têm de atualizarem uma notícia porque o governo federal voltou atrás e mudou as decisões.

Nesta sexta-feira (7), partir de uma nova determinação do Ministério da Saúde, o governo do Rio Grande do Sul cancelou a distribuição de 243.400 doses da Oxford/AstraZeneca para os municípios gaúchos.

O governo federal ordenou que as vacinas sejam reservadas, de forma integral, para a aplicação da segunda dose do imunizante.

A remesssa da AstraZeneca chegou a Porto Alegre nessa quinta-feira (6) e a distribuição estava prevista para hoje. No entanto, devido à solicitação da pasta comandada por Marcelo Queiroga, o lote não será mais usado para avançar na vacinação de pessoas com comorbidades no Estado.

“Quando chegar próximo ao vencimento do prazo da segunda dose, distribuiremos os quantitativos aos municípios para que possam atender 100% das D2 dessas três remessas”, explica Tani Ranieri, chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde.


Compartilhe: