Rio Grande do Sul volta a adotar bandeira vermelha em todas as regiões

Com a mudança do indicador, o Governo do Estado consegue, finalmente, seu objetivo: autorizar as atividades presenciais nas escolas públicas.

Compartilhe:

O Governo do Estado decidiu voltar à bandeira vermelha no modelo do distanciamento controlado. A medida causará a suspensão da gestão compartilhada com as prefeituras. Um decreto com as novas restrições, mais brandas, deve ser publicado no Diário Oficial do Estado. A nova bandeira começa a valer a partir da publicação do decreto.

A decisão foi tomada em reunião de emergência do Gabinete de Crise hoje pela manhã. O encontro foi convocado às pressas, e contou com a presença do vice-governador, Ranolfo Vieira Júnior (PTB); do presidente da Assembleia Legislativa, Gabriel Souza (MDB); e do prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB).

A mudança de bandeira veio através de um ajuste nos parâmetros para estabelecimento da bandeira preta. De agora em diante, a proporção de leitos de UTI para pacientes com covid-19 deve ser de 0,35. Ou seja, um leito de UTI para cada três pacientes internados por Covid-19.

Com a mudança do indicador, o Governo do Estado consegue, finalmente, seu objetivo: autorizar as atividades presenciais nas escolas públicas. Ontem, o Poder Judiciário decidiu que a Secretaria da Educação não pode retomar as atividades nos estabelecimentos de ensino enquanto houver a bandeira preta.

A cogestão foi suspensa para que prefeitos integrantes do modelo não possam flexibilizar ainda mais as medidas de isolamento social. Com a bandeira vermelha, os gestores municipais integrantes da gestão compartilhada poderiam adotar os protocolos da bandeira laranja. O medo do Piratini é flexibilizar demais e causar um aumento no número de casos.


Compartilhe:

Os comentários estão encerrado.