Visto para nômade digital em Portugal atrai muitos brasileiros

Nômade Digital (Foto: Banco de Imagens)

Em vigor desde outubro de 2022, o chamado visto para nômade digital completou um ano. Anunciado pelo Decreto Regulamentar n.º 4/2022, a modalidade é fruto das mudanças na Lei de Estrangeiros de Portugal, alterada também no ano passado.

Essa opção foi criada para profissionais que não precisam de um endereço fixo para fazer suas atividades e podem trabalhar de qualquer lugar do mundo. E este é um público significativo e em crescimento: 35 milhões de pessoas se declararam nômades digitais, segundo o “Relatório Global de Tendências Migratórias 2022”, da Fragomen.

Em janeiro de 2023, o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal (MNE) informou que, desde o final de outubro de 2022, cerca de 200 vistos para nômades digitais já haviam sido emitidos.

A pesquisa The MBO Partners 2022 State of Independence apontou que o número de nômades digitais com empregos tradicionais aumentou 9% em 2022, passando de 10,2 mi em 2021 para 11,1 mi em 2022. Em 2023, o mesmo levantamento acrescentou que 17,3 milhões de trabalhadores americanos descrevem-se como parte desse estilo de vida, crescendo 2% desde 2022, depois de aumentar 131% desde 2019. Há crescimento também entre os que não têm vínculo fixo, como freelancers e prestadores de serviços independentes: aumento de 14% em comparação com 2022.

Cada um tem seus processos e exigências para conceder o documento, mas, em linhas gerais, é necessário comprovar que tem um trabalho e demonstrar o valor do ganho mensal. No caso de Portugal, esse valor precisa ser de pelo quatro salários mínimos portugueses nos últimos três meses. Ou seja, a pessoa precisa comprovar que recebeu pelo menos 3.040,00 € mensais nos últimos três meses.

Quer ficar por dentro das notícias de turismo e ainda conferir dicas de viagens e passeios, acompanhe a gente no Instagram e Facebook do Blog Sem Roteiro.


Compartilhe: