Ruínas de São Miguel (Foto: Sem Roteiro)

Um lugar cheio de história: Ruínas de São Miguel

No Rio Grande do Sul, assim como no País, tem vários lugares históricos e bonitos. Eles merecem destaques como o lugar que a gente visitou: As Ruínas de São Miguel Arcanjo.

Durante as férias, a gente se organizou para visitar Santo Ângelo por seis dias. A cidade que também faz parte da Região das Missões. Nossa trajetória começou em Porto Alegre, aliás pelas paisagens pelo caminho (é varias paradas para comer pastel, hahaha).

 

Você deve estar pensando: “Mas seis dias em só uma cidade…”. Bom, a gente sempre vê o que tem também nos arredores da “cidade base”, no caso Santo Ângelo, para visitar. E sabendo sobre as histórias das Ruínas de São Miguel, não tinha como não visitar o local.  Deu cerca de um hora de viagem entre as duas cidades.

Ruínas de São Miguel (Foto: Sem Roteiro)

As Ruínas:

Nas ruínas, o que chama atenção é a mistura do silêncio com a estrutura histórica. Então a gente fica imaginando como era o local antes (vestígios que não faltam). Ao caminhar pelo lugar, que é bem grande, você tem a sensação de que está dentro da antiga vila onde tem a enorme ruína da igreja.

A gente fala “ruínas”, mas na verdade o local é um sítio arqueológico, um conjunto de ruínas da antiga redução de São Miguel Arcanjo. E ele faz parte dos chamados Sete Povos das Missões (deu vontade conhecer os que ficam na Argentina e no Paraguai, quem sabe um dia).

Ruínas de São Miguel (Foto: Sem Roteiro)

Segundo os historiadores, a igreja principal foi construída entre os anos de 1735 e 1745. Onde também tem o cemitério dos índios ficava localizado à sua direita.

O lugar é bonito demais, dá para descansar bem a mente e tirar belas fotos. Porém, tome cuidado para não ser surpreendido por um lagarto na hora da pose… kkkkkk

Ruínas de São Miguel (Foto: Sem Roteiro)

Dica importante:

Ah, outra coisa como a gente falou… o lugar é grande, então vai uma dica: leva uma garrafinha de água junto (ninguém merece ficar com sede em um lugar bonito né (hahaha). Pois é, a gente esqueceu disso! Bebemos bastante água no bebedor que tem na secretaria. Mas para acessar lá precisa sair do parque, então não rola durante o passeio, rsrsrs.

Concluindo:

A gente tem para te dizer que é com toda certeza um passeio incrível para quem gosta de história. Ahh, não assistimos o espetáculo Som e Luz dessa vez, mas vale muito à pena. Nele você se sente dentro da história contada pelas vozes, sons e luzes nas ruínas. #ficadica

Ruínas de São Miguel (Foto: Sem Roteiro)

Related Posts