Força-tarefa cumpre reintegração de posse em condomínio na zona Norte de Porto Alegre

Uma força-tarefa composta por oficiais de Justiça, agentes da Polícia Federal, PMs da Brigada Militar e conselheiros tutelares realiza a reintegração de posse de um condomínio do programa “Minha Casa, Minha Vida” próximo do Sambódromo, zona Norte de Porto Alegre. O local estava ocupado por quase 400 famílias de forma irregular.

A operação conjunta começou às 6h da manhã e só deve terminar durante o período da noite. Negociações para a saída pacífica do grupo começaram logo após a invasão das residências que, por ainda não estarem prontas, ainda pertencem à Caixa Econômica Federal.

As primeiras famílias começaram a deixar o local por volta das 9h da manhã de forma pacífica. Ao menos 450 policiais militares do Batalhão de Choque da Brigada Militar garantem a segurança da operação.

Alguns invasores até tentaram realizar um acordo direto com a Caixa para pagar as parcelas das residências e continuar no local, mas não houve acordo. A maioria deve ir para a casa de parentes.

Ao menos 90 caminhões estão sendo disponibilizados pelo banco público para o transporte dos pertences. Os móveis e objetos pessoais estão sendo levados para os endereços dados pelos retirados.

Em nota, a Caixa Econômica Federal disse que a reintegração tem objetivo de garantir o direito das famílias que se enquadram nas regras do programa Minha Casa Minha Vida. Após a desocupação do empreendimento será feita vistoria nas unidades habitacionais. Confira a íntegra abaixo.

A Caixa Econômica Federal informa que adotou medidas cabíveis para reintegração de posse do empreendimento.
A CAIXA esclarece que a responsabilidade pelo cumprimento da decisão é do oficial de justiça e das forças de segurança pública.
A reintegração de posse tem objetivo de garantir o direito as famílias que se enquadrem dentro das regras, de acordo com os critérios estabelecidos pelo programa Minha Casa Minha Vida, para os quais os imóveis serão devidamente destinados.
Após a desocupação do empreendimento será feita vistoria nas unidades habitacionais pela CAIXA. Caso seja detectada alguma necessidade de reparo, o banco acionará a construtora responsável para recuperação das moradias.
Os imóveis serão entregues em plenas condições de habitabilidade.

Deixe um comentário para este conteúdo

O Agora no RS não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários realizados pelos usuários. O veículo pode, a qualquer tempo, moderar, excluir ou banir qualquer conteúdo publicado por estes em qualquer seção do site ou de suas páginas na rede social Facebook.