Governo do RS entrega novas viaturas para policiamento na Região Metropolitana

Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini

Novos veículos para o policiamento ostensivo na Região Metropolitana de Porto Alegre foram entregues pelo governador José Ivo Sartori e pelo secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer, em Alvorada. Cinco viaturas foram distribuídas, sendo uma para o município de Alvorada, outra para Gravataí, duas para Viamão e mais uma para Sapucaia do Sul, que será utilizada pelo Comando Ambiental da Brigada Militar.

São três Corollas e uma Mitsubishi L200 para o policiamento ostensivo e outra L200 para o patrulhamento ambiental. Até o momento, a aquisição de viaturas para a Brigada Militar representa um investimento de R$ 25 milhões, divididos em R$ 14,4 milhões do governo do Estado e R$ 10,6 milhões do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e Distrito Federal. O primeiro lote de 118 novos veículos foi entregue em dezembro de 2017. Para os municípios contemplados nesta quarta-feira (04), já tinham sido entregues 12 viaturas.

“As pessoas querem se sentir seguras. E uma polícia bem equipada está melhor preparada para combater a criminalidade. O poder público, sozinho, não consegue fazer tudo. E estamos fazendo aquilo que é necessário, mas o Estado e a sociedade precisam unir esforços para a diminuição dos índices de criminalidade no Rio Grande do Sul e ajudar aqueles que mais precisam”, ressaltou Sartori.

Para o comandante-geral da Brigada Militar, coronel Andreis Silvio Dal’Lago, a entrega simboliza a coragem do governador em quebrar um paradigma de cerca de 35 anos no atraso em investimentos para a corporação. “Pela qualidade das viaturas, essa foi uma decisão de empoderamento dos brigadianos contra a delinquência. O Estado está equipando à altura do enfrentamento, e isso determina uma reação nos índices de criminalidade. Quem precisa ter medo não é o cidadão de bem, mas aquele que está por delinquir”, disse.

Schirmer falou sobre o simbolismo do ato. “São cinco veículos que, aparentemente, representam apenas um grão de areia nas necessidades da Segurança Pública. Mas não é só isso. A integração é chave no processo de enfrentamento do crime. Se nós não coibirmos nos municípios os pequenos delitos, estes são um estímulo para a progressão da criminalidade”, salientou o secretário da Segurança Pública.