Porto Alegre

Após confusão na Câmara, municipários entram em greve a partir do dia 15

Foto: Mariana Pires / Simpa

Os servidores municipais filiados ao Simpa (Sindicato dos Municipários de Porto Alegre) decidiram entrar em greve a partir do dia 15 de julho. A decisão ocorreu após “os episódios de violência contra os municipários, cometidos pelo Pelotão de Operações Especiais da Brigada Militar” ontem (11).

Os servidores são contra os projetos de lei que tratam da previdência complementar e o que muda o regime e a carreira da categoria. Ambas proposições foram colocadas em pauta de votação na Câmara de Vereadores.

Conforme o Simpa, acesso, só foi liberado por liminar judicial, em resposta ao mandado de segurança impetrado pelo vereador Mauro Zacher. Os servidores que queriam assistir a sessão na Câmara de hoje pela manhã tiveram que passar por processo de identificação. O número de pessoas foi restrito a 150.

Durante a confusão de ontem, portas de vidro foram quebradas e um sistema de detecção de metais foi derrubado. O Batalhão de Operações Especiais da Brigada Militar foi usou bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes.

Leia mais:  Em 18 anos, Sistema de Unidades de Conservação tem avanços e desafios

Uma mulher foi presa por desacato a um policial. Ela estava fumando cigarro e assoprando a fumaça contra o rosto de um PM do BOE. A mulher foi encaminhada para a Delegacia de Polícia.

votação acabou suspensa. Nas redes sociais, municipários, inclusive professores, postaram vídeos assustados com a decisão de acionar a tropa de choque para a manifestação que até então era “pacífica”.