Porto Alegre escolhida para ser exemplo no tratamento do câncer

Capital gaúcha é a primeira cidade na América Latina nomeada. Foto: Rafael Fernandez

Porto Alegre foi selecionada como Cidade-Desafio do City Cancer Challenge (C/Can 2025), iniciativa liderada pela União Internacional de Controle do Câncer que tem como objetivo conduzir algumas cidades no mundo à liderança no planejamento e implementação de soluções de tratamento de câncer.

Porto Alegre é a primeira cidade na América Latina nomeada. A decisão foi anunciada durante a Assembleia Mundial da Saúde da ONU (Organização das Nações Unidas) em Genebra, Suíça.

De acordo com dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer), estima-se que sejam registrados cerca de 600 mil novos casos de câncer em 2018, 54.800 deles só no Rio Grande do Sul. A candidatura da cidade foi resultado do trabalho conjunto entre a Prefeitura de Porto Alegre e a Femama (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama), com o apoio do Hospital Moinhos de Vento.

De acordo com o secretário municipal da saúde, Erno Harzheim, o status de Cidade-Desafio trará oportunidades para repensar a rede de atendimento do câncer. “Embora a cidade ofereça uma rede de serviços que cobre a continuidade do tratamento oncológico, é essencial melhorar a eficiência dessa rede para oferecer atendimento pontual e de alta qualidade, adaptado à realidade local”, afirma.

Passo fundamental

A presidente voluntária da Femama, Maira Caleffi, afirma que a participação de uma cidade brasileira nessa iniciativa será um passo fundamental para que pacientes com diagnóstico de câncer tenham acesso ao tratamento adequado e todos os cuidados que a doença demanda.

“O Projeto Cidade-Desafio permitirá agregar várias áreas de interesse em busca de uma solução para as crescentes taxas de câncer em Porto Alegre. Existe um problema global com o aumento geométrico do número de novos casos, mas a solução precisa ser local. Com essa experiência, Porto Alegre servirá de modelo nacional para tornar o atendimento oncológico mais rápido e moderno”, declara.