Acidentes de trabalho são causa de 506 óbitos na Capital gaúcha em 2016

Dado foi divulgado em evento alusivo ao Abril Verde, no Largo Glênio Peres. Foto: Cristine Rochol/PMPA

Em Porto Alegre, 506 pessoas perderam a vida em função de acidentes de trabalho ou adoecimento por trabalho no ano de 2017. O dado foi divulgado em entrevista coletiva que reuniu representantes da Secretaria Municipal de Saúde, Ministério Público do Trabalho e Tribunal Regional do Trabalho.

Segundo informação da coordenadora do Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador de Porto Alegre, Fabiana Hermes, no ano passado foram registrados 9.679 casos de acidentes ou doenças do trabalho na cidade, número 4% maior ao de 2016.

Fabiana explica que a comparação do primeiro trimestre de 2018 aponta aumento de 18,5% no número de atendimentos em pronto-atendimentos em relação a 2017, com mais de 3 mil casos. Pesquisa de 2013 do IBGE aponta que os dados possam ser até sete vezes superiores aos notificados.

De acordo com dados referentes a 2017, em Porto Alegre acontecem em média 26 acidentes por dia, um a cada 44 minutos. As vítimas preponderantes são do sexo masculino, com idade entre 30 e 40 anos, residentes na Capital.

As profissões com maior índice de acidentes são servente de obras e pedreiro (classificados como “típicos”, quando acontecem no ambiente do trabalho, como queda), serviços gerais (em trajeto de casa para o trabalho ou vice-versa e em horário de almoço) e motofretista (típico), e as consequências mais comuns são ferimentos de punho e mão, fraturas múltiplas e traumatismo craniano.