Rappi inicia operações em Porto Alegre: aplicativo entrega ao usuário o que ele quiser

O diferente: não só comida nem só supermercado, a Rappi entrega ao usuário tudo o que ele quiser. Foto: Lucas Sabino/Divulgação

Chegou um facilitador para quem quer comprar sem sair de casa. É a Rappi, aplicativo desenvolvido por startup colombiana e em funcionamento no Brasil desde julho de 2017, quando inaugurou operação na cidade de São Paulo. O diferente: não só comida nem só supermercado, a Rappi entrega ao usuário tudo o que ele quiser.

No menu de navegação da tela inicial, há listados restaurantes, cerca de 70 atualmente, que oferecem seus cardápios por lá, supermercados parceiros, onde o usuário poderá fazer a compra da semana, por exemplo, e a opção ‘qualquer coisa’.

Com a pergunta ‘O que você deseja?’, o usuário poderá solicitar a compra de qualquer produto que esteja à venda em um estabelecimento aberto da cidade, seja remédio (desde que não exija receita), sapato, itens de consumo.

“Com a Rappi dá para se dizer que não há mais estabelecimentos sem delivery em Porto Alegre. Se o consumidor precisa e a loja ou restaurante não possui equipe própria, resolve pelo aplicativo em minutos” afirma André Brumer, City Manager da Rappi em Porto Alegre.

Disponível, por enquanto, para entrega nos bairros centrais de Porto Alegre, a Rappi tem funções de pagamento via cartão de crédito, com a cobrança realizada apenas após a entrega. Durante o processo de compra o usuário pode acompanhar o seu pedido em tempo real e até conversar – via chat – com o comprador Rappi que está providenciando o pedido.

“É uma vantagem para o consumidor que pode receber uma foto da carne que deseja comprar para o churrasco, por exemplo, para aprovar ou solicitar ao comprador que escolha outra”, ressalta Brumer.

Equipe de laranjinhas

Não será raro encontrar pela cidade os motoboys com o uniforme laranja que identifica os prestadores de serviço da Rappi. Com a abertura de operação em Porto Alegre a empresa gerou 35 empregos diretos. Nesta semana de lançamento são cerca de 60 entregadores, número que deve crescer nos próximos dias, e outros 25 personal shoppers, que ficam posicionados nos principais pontos parceiros de comércio. Todo o processo de compra pode ser acompanhado em tempo real pelo usuário. “Quando o usuário pede a compra de um item que não cabe na moto, o item é entregue de carro”, explica Brumer.

Com a operação em Porto Alegre, a startup colombiana aposta na primeira capital do Sul do Brasil para abrir mercado e revolucionar o jeito que o porto-alegrense gerencia seu tempo e consumo. “A ideia é que as pessoas tenham suas tarefas e momentos de lazer facilitados pela Rappi”, conclui Brumer.

Como funciona

Assim como ocorre nos aplicativos de transporte, o consumidor cadastra um cartão de crédito ao se cadastrar na Rappi. As taxas de entrega são de 6,90 reais por entrega de pedidos em restaurantes, farmácias e mercados. Para a categoria ‘O Que Você Deseja?” o frete é de 7,90, com taxa de 14% sob o valor do produto solicitado.