Novos detalhes

Assaltante de lotérica foi morto por comparsa, revela Polícia Civil

Confronto ocorreu em frente a lotérica. Foto: Divulgação

Um dos dois assaltantes que morreram ontem (11) após uma tentativa de roubo a uma lotérica e correspondente bancário, em Sapiranga, no Vale do Sinos, foi atingido pelo comparsa de crime. A informação foi divulgada hoje pela Polícia Civil da cidade, que deu vários detalhes de como ocorreu a ação.

Conforme a investigação, quatro criminosos chegaram ao local em um carro. Dois deles desceram e foram até o estabelecimento. Com base nas câmeras de investigação, os policiais chegaram a conclusão que o dono da lotérica reagiu.

O empresário fez um disparo em direção a um dos assaltantes e acertou um deles. Os dois criminosos saíram correndo do local e, quando o baleado tentou revidar o tiro acertando o comerciante, acertou o comparsa, que estava logo atrás.

“O que estava na frente tentou dar um tiro para trás, para acertar o empresário, mas acertou em cheio o próprio colega”, afirmou o delegado Carlos Medeiros, chefe de investigação da Polícia Civil de Sapiranga.

Leia mais:  Confiança do empresário do comércio recua 4,3% de junho para julho

O proprietário da lotérica também é dono de uma empresa de vigilância, segundo a investigação. A arma usada para atingir o primeiro criminoso está registrada, o que não configura porte ilegal do armamento. Mesmo assim, um inquérito policial está aberto para investigar se a conduta do empresário foi em legítima defesa.

Até às 22h desta quinta-feira apenas um dos criminosos mortos havia sido identificado. Trata-se de Maikel da Silva Zeferino, 26 anos, natural de Sapucaia do Sul. Ele já tinha passagens por tráfico e receptação. O outro criminoso morto ainda não foi identificado. A Polícia Civil ainda faz buscas aos outros dois comparsas que participaram da tentativa de roubo e que fugiram durante a troca de tiros.