Desastre no Japão

Sobe para 199 o número de mortos devido às chuvas no Japão

Foto: Reprodução de vídeo / NHK

Subiu para 199 o número de mortos devido às chuvas torrenciais que atingiram o Sul e o Oeste do Japão, de acordo com o primeiro-ministro Shinzo Abe, que visita as áreas atingidas. As tempestades e inundações atingiram o país na última quinta-feira (5) e só deram trégua na terça-feira (10).

O político japonês visitou um centro de acolhimento para os desabrigados em Kurashiki, cidade em que o rio alagou, destruindo áreas residenciais inteiras, matando mais de 40 pessoas.

Segundo a emissora pública NHK, 54 mil pessoas foram mobilizadas em operações de resgate para procurar desaparecidos em meio à lama e aos escombros. A tragédia, que marca a maior enchente que atinge o país em 36 anos, forçou mais de 2 milhões a deixarem suas casas. Os deslizamentos de terra atingiram principalmente Hiroshima, com 71 mortos até o momento, e autoridades locais dizem que 88 pessoas permanecem desaparecidas.

Yasushi Kajihara, da Agência Meteorológica do Japão, acredita que um influxo de extrema umidade no ar foi o fator principal por trás desse de recordes de chuva. Além disso, com o fim das chuvas torrenciais, a agência nacional japonesa adverte que as temperaturas nas áreas afetadas pelas enchentes podem superar os 35ºC a partir de hoje e pelos próximos sete dias.

Leia mais:  Mais de 3,3 milhões de contribuintes recebem hoje restituição do IR

Pelo menos 7,2 mil pessoas que tiveram de deixar suas residências e morar nos centros de acolhimento estão em risco de sofrer golpes de calor e surtos de intoxicação alimentar devido às altas temperaturas. Segundo o Ministério da Saúde Japonês, o fornecimento de água potável foi interrompido em cerca de 255 mil casas em 12 municípios, e quase 16 mil complexos habitacionais tiveram os sinais de internet e telefone bloqueados.