Diaz-Canel é indicado presidente de Cuba em substituição a Raúl Castro

ABr

Miguel Díaz-Canel (E), de 57 anos, é o atual primeiro vice-presidente de Cuba. Foto: Divulgação

O atual primeiro vice-presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, de 57 anos, foi indicado nesta quarta-feira (18) na Assembleia Nacional do Poder Popular como candidato para ocupar a presidência do país em substituição a Raúl Castro, de 86 anos, que deixa o cargo após dois mandatos. Díaz-Canel lidera a proposta da Comissão de Candidaturas Nacionais (CCN) para a formação do principal órgão de governo do país, o Conselho de Estado, uma candidatura que agora será submetida à votação da Assembleia recém-constituída. O resultado só será conhecido nesta quinta (19). Após a leitura da proposta, os 605 deputados dedicaram ao ‘número 2’ do governo cubano uma longa salva de palmas.

Como primeiro vice-presidente do Conselho de Estado, a Comissão de Candidaturas propôs o veterano dirigente Salvador Valdés Mesa, de quase 73 anos, membro do Partido Comunista de Cuba e que ocupava até agora uma das cinco vice-presidências do órgão.

Se for confirmada a nomeação de Valdés Mesa, esta será a primeira vez em que Cuba terá um primeiro vice-presidente negro, o cargo mais alto que será ocupado por um afrodescendente na história do país.

Nas cinco vice-presidências do Conselho de Estado, dois dos cinco candidatos propostos continuarão em seus cargos: Ramiro Valdés, figura histórica da Revolução, e Gladys Bejerano, a quem se juntarão Roberto Morales, Inés María Chapman e Beatriz Johnson Urrutia.

Esta é a primeira vez que nem Raúl Castro nem o atual vice-presidente José Ramón Machado Ventura, de 87 anos, – outra figura da geração que participou da Revolução – farão parte deste poderoso órgão diretor, no qual o único nome “histórico” que permanece é o comandante Ramiro Valdés, de 85 anos.

Já para o posto de secretário foi indicado à reeleição Homero Acosta, que também é membro do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba.

Dos 23 nomes restantes do Conselho de Estado, 13 são caras novas e dez se mantêm, entre eles influentes comandantes militares como Leopoldo Cintra Frías, ministro das Forças Armadas, e figuras do mundo da cultura, como Miguel Barnet, presidente da União de Escritores e Artistas de Cuba. Também continuarão em seus cargos o chanceler Bruno Rodríguez, a jovem dirigente Susely Morfa e o líder da Central de Trabalhadores de Cuba (CTC), Ulises Guilarte, todos de gerações mais jovens e que chegaram a cargos de relevância durante o mandato de Raúl.

Os deputados dispõem de uma hora para estudar as biografias dos candidatos e, se assim desejarem, modificar total ou parcialmente a proposta, segundo estabelece a legislação eleitoral cubana.

Em seguida, acontecerá a votação dos deputados, que será secreta, e a Comissão Eleitoral Nacional realizará a apuração.

Segundo a agenda difundida pelos veículos de imprensa oficiais da ilha, será nesta quinta-feira, que serão apresentados os resultados definitivos da votação.