Porto Seguro Fiança dá dicas para economizar pagando aluguel

Ideal é que o locador gaste no máximo 30% do orçamento. Foto: Divulgação

Visto muitas vezes como vilão, optar pelo aluguel pode compensar em muitos casos. Isso é o que explica o superintendente de Riscos Financeiros e Capitalização da Porto Seguro, Luiz Henrique. De acordo com ele, é necessário desmistificar que o aluguel é “jogar dinheiro fora”, já que “a locação mensal pode custar menos da metade de uma parcela de financiamento e pode ser benéfico para muitas pessoas. Essa opção vem ganhando espaço nos últimos anos”, afirma.

Para evitar possíveis dúvidas sobre o assunto, o especialista da companhia, que oferece o Seguro Fiança aos interessados, explica como o aluguel pode ser vantajoso e como os inquilinos podem economizar dinheiro.

Limite de até 30% da renda para gastar com aluguel

Antes de tornar-se um inquilino, é necessário fazer alguns cálculos. O ideal é que o locador gaste no máximo 30% do orçamento com aluguel. Neste gasto deve estar contemplado condomínio e IPTU.

Menos entraves e possibilidade de aplicar o dinheiro

O aluguel é uma boa opção para quem busca evitar alguns entraves na hora de adquirir um imóvel. Diferente de quem vai comprar uma residência, que são necessários o valor da entrada para um financiamento, calcular taxas de juros e um longo prazo de financiamento, o aluguel evita essa dor de cabeça e proporciona, inclusive, a possibilidade de o inquilino aplicar o dinheiro da compra do imóvel para obter rentabilização e liquidez.

Imóveis mais antigos

Imóveis recém-lançados, normalmente, são mais caros. O ideal para quem procura economizar é procurar por construções mais antigas.

Dividir aluguel

Se o inquilino mora sozinho em um imóvel e não vê problemas de dividir o espaço com outra pessoa, o custo do aluguel pode cair pela metade e influenciar diretamente na economia da renda.

Adeque o tamanho do imóvel ao momento de sua vida

É necessário entender o momento de sua vida e adequar o tamanho do seu imóvel a ele. O aluguel é o ideal para quem busca um imóvel a curto prazo, mais barato e flexível. Jovens solteiros, por exemplo, geralmente procuram por imóveis menores. Futuramente, se tiverem uma família, é provável que procurem por uma casa maior, com mais espaço. O aluguel garante essa possibilidade e se adapta de acordo com a necessidade de cada pessoa e em diferentes momentos de sua vida.