Na contramão do mercado, Japesca reduz preço nas Temakerias

Temakeria quer alcançar mais clientes no inverno. Foto: Divulgação
Temakeria quer alcançar mais clientes no inverno. Foto: Divulgação

O carro-chefe dos restaurantes japoneses é o salmão, que conquistou a mesa dos consumidores nos últimos anos. Originário do Chile, o produto enfrenta no momento uma séria crise, capaz de comprometer os hábitos dos apreciadores do sushi, consumido por uma grande parcela da população, principalmente jovens e mulheres.

Atrelado ao dólar comercial, o produto, que reina absoluto no cardápio das temakerias, vem numa escalada assustadora de preços, entre 30 e 50% em relação aos últimos meses, seguido por um desequilíbrio na oferta em função da perda de produção nos cultivos, no Chile, atrelada ainda a uma maior demanda, puxada principalmente por países como Rússia, China e Estados Unidos.

Nesta gangorra de dificuldades muitos restaurantes japoneses no Rio Grande do Sul já elevaram seus preços.

Com visão de futuro e um olhar aguçado à expansão de mercado, a Japesca corre na contramão deste cenário.

Sinônimo de tradição no segmento de pescados, a empresa, presente há 48 anos no mercado, opera um ponto de venda no Mercado Público da capital, conceituado pelo binômio qualidade X serviços ofertados, um Centro de Distribuição na zona norte de Porto Alegre e uma unidade industrial em São Lourenço do Sul/RS.

No sistema de franquias, as outras unidades já formam uma rede de 14 temakerias em Porto Alegre e Região Metropolitana, projeto que impulsiona os planos de crescimento da empresa, que pretende chegar ao final de 2018 com um total de 20 lojas em seu portfólio regional.

A estratégia para preservar a posição conquistada pela rede de temakerias ao longo dos anos, referendada pela exigência do público consumidor na escolha da marca e de seus produtos, passa pelo olhar empreendedor de seus diretores.

A opção adotada, com o propósito de ampliar a competitividade do setor, preservando consumo e tradição da rede de franquias, centra esforços na redução de preços do salmão que desfila nos cardápios de opções ofertadas pelas Temakerias. Até porque, preço baixo e qualidade marcaram desde o início a trajetória de sucesso da Temakeria Japesca, que inovou aproximando a culinária japonesa da população, democratizando seus produtos e acesso a todas as classes sociais.

“Inovamos oferecendo preço justo aliado a produtos de excelência”, reitera Gabriel Antonio Mendo da Cunha.

É ele que responde pela operação da Japesca, ao lado do irmão, Roberto, e do sócio Paulo Henrique Gottert, e defende a iniciativa, apontando a necessidade de preços acessíveis aos clientes, sem que se intimidem pela culinária japonesa por questões sazonais.

“Por sua tradição, a Temakeria Japesca conta uma história única, diferente de seus concorrentes. Não apenas pelo preço, produto ou pela localização, mas porque consegue oferecer tudo isso de um jeito diferente, convidativo, sem rótulos sociais ou de idade”, no melhor estilo “fast-food” da culinária japonesa sentencia.

Gabriel crê ainda na importância do empreendedorismo, com atitudes que possam fazer diferença no cenário econômico vigente. “Acreditamos que podemos fazer alguma coisa diferente e estamos apostando nisso, mesmo que seja