Porto Seguro divulga lucro líquido de 29%

Os resultados são do primeiro trimestre de 2018. Foto: Divulgação

No primeiro trimestre de 2018, a Porto Seguro alcançou resultados sólidos, em virtude sobretudo da disciplina da companhia na recomposição de preços no segmento de seguros realizada ao longo do ano passado. A companhia entregou um resultado operacional três vezes maior, reflexo do melhor Índice Combinado dos últimos 10 anos, ultrapassando os ganhos financeiros do período.

O êxito em ajustar a operação, ao mesmo tempo em que o desempenho financeiro foi impactado pela menor taxa de juros da nossa história, confirma a visão de que esses dois tipos de resultados devem ser analisados e geridos de forma integrada. A resiliência do setor de seguros, somada a maior dinâmica de crescimento dos demais negócios, proporcionou um crescimento de 8% das receitas totais com aumento de 7% dos prêmios de seguros, enquanto as receitas dos negócios financeiros e serviços evoluíram 14% no período.

Na operação de seguros, as medidas realizadas no segmento auto para readequar as margens, resultaram em movimentos distintos de crescimento de prêmios entre as marcas, com a Porto Seguro permanecendo estável e a Azul e a Itaú crescendo em duplo dígito. Na parte das despesas, a redução de sinistralidade foi relevante nas 3 marcas.

Nos demais negócios, os produtos de Saúde, Vida e Cartão de Crédito, foram os que apresentaram maior crescimento, com expansão de mais de 10% de receitas, impulsionados pelo aumento do volume de clientes. No entanto, nas operações de serviços, o resultado segue pressionado pelos negócios menos maduros, principalmente pela Conecta.

As aplicações financeiras (ex-previdência) obtiveram uma queda em decorrência do menor CDI médio (-48% vs.1T17), o que levou a uma redução de 23% no resultado financeiro do período. Contudo, o desempenho relativo foi superior ao benchmark, atingindo 146% do CDI, fruto do melhor desempenho das posições em juro real e indexados à inflação, além do maior resultado dos ativos de renda variável.

Nesse contexto, o lucro líquido atingiu R$ 278 milhões, número recorde para um primeiro trimestre, representando um crescimento de 29% quando comparado ao 1T17. Esse aumento é proveniente principalmente da evolução do resultado do seguro de auto, que dobrou a lucratividade no período. O ROAE alcançou 15,9%, com um aumento de 2,1 p.p. (vs. 1T17). Como referência, a rentabilidade dos negócios da Empresa com capital ajustado (sem excesso) e com uma rentabilidade de investimentos de 100% do CDI seria de 20,9%.

Dessa forma, a Porto Seguro está otimista com a perspectiva de retomada do crescimento econômico, que poderá contribuir tanto para que o setor de seguros continue crescendo acima do PIB nos próximos anos, quanto para a expansão dos demais negócios em que a companhia atua.

Principais destaques

  • Receita Total: R$ 4,4 bilhões (+8%)
  • Prêmios Auferidos: R$ 3,7 bilhões (+7%)
  • Receita Demais Negócios: R$ 608 milhões (+14%)
  • Resultado Financeiro: R$ 236 milhões (-23%)
  • Índice Combinado: 93,5% (-5,7 p.p.)
  • Lucro Líquido: R$ 278 milhões (+29% vs. 1T17)