É bom pesquisar...

Preços de remédios contra gripe e resfriado podem variar mais de 200%

Procura por medicamentos aumentou em 38,4% com a chegada do frio, segundo plataforma Consulta Remédios

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

O inverno chega daqui a dois dias, mas o frio que atingiu o Rio Grande do Sul fez os indesejáveis companheiros desta época do ano reaparecerem antecipadamente. Gripes e resfriados são mais comuns por causa da incidência de doenças respiratórias.

O cenário, que se repete todos os anos, provoca o aumento das consultas em postos de saúde, clínicas e hospitais. E, claro, há o consequentemente reflexo nos gastos com os tratamentos. Após aquela imprescindível consulta no médico para identificar a causa daquela tosse chata, da coriza ou dor de garganta, é preciso também pesquisar na hora de comprar os medicamentos que o especialista receitou.

Conforme levantamento realizado pela plataforma Consulta Remédios, o preço de alguns produtos pode variar mais de 215%. Para se ter uma ideia: o expectorante Cloridrato de Ambroxol, indicado para o tratamento de doenças broncopulmonares agudas, é ofertado a R$ 6,17 em uma farmácia, mas pode ser encontrado em outro estabelecimento por até R$ 19,44. O medicamento registrou um aumento de 500% nas buscas entre os meses de abril e maio.

A pesquisa, realizada, em 2.800 farmácias de todo o Brasil, identificou aumento médio de 38,46% nas buscas por informações de medicamentos usados para tratar doenças típicas do inverno no último mês de maio, com relação ao mês de abril.

Leia mais:  Justiça recebe denúncia contra trio acusado de matar Vitória Gabrielly

Outro medicamento utilizado como antitérmico e para o alívio das dores, o Ibuprofeno, pode apresentar uma variação de 304%. Ao todo, os tipos mais procurados foram antigripais (47,85%), remédios para dor de garganta (28,64%), anti-inflamatórios (39,47%), doenças respiratórias (28,82%), expectorantes (5,74%) e remédios para a tosse (80,24%).

“Com a diminuição das temperaturas, os consumidores buscam mais informações sobre os medicamentos indicados pelo médico. E a plataforma, além dos preços dos remédios praticados nas farmácias, traz as informações da bula, contraindicações e modo de usar”, explica Paulo Vion, diretor-geral do Consulta Remédios.

Busca pelo mais barato

A pesquisa de preços da plataforma, que também está disponível para iOS e Android, ajuda o consumidor a economizar. Atualmente, mais de 65 mil produtos estão cadastrados na plataforma e o uso é inteiramente gratuito.

“Nosso principal objetivo é fazer com que o consumidor seja beneficiado com uma plataforma que é inteiramente gratuita e que pode ajudar na hora em que ele mais precisa, com informações que vão muito mais além que simplesmente o preço”, finaliza Paulo.