para a viagem dos sonhos

Saiba como fazer o visto americano e não cair em golpe

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em junho desde ano, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul emitiu um sinal de alerta para quem está pensando em tirar o visto americano. O aviso aconteceu quando a polícia gaúcha deflagrou a Operação VISA, na repressão a fraudes contra vítimas que buscavam emissão de visto de entrada nos Estados Unidos.

No dia 5 de junho, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, por meio da Divisão Judiciária e de Operações, em Porto Alegre, na investigação dos crimes de estelionato, apropriação indébita, falsa identidade e falsificação de documentos.

Durante a ação, diversos documentos e 45 passaportes foram apreendidos no escritório de assessoria para concessão de vistos. O escritório fica no Centro da Capital e pertence ao empresário Breno Leal Berto, de 55 anos, dono da agência EB Vistos.

Inicialmente a Polícia Civil do Rio Grande do Sul trabalhava com 19 vítimas, mas logo depois da ação, subiu para 34 o número de possíveis vítimas do golpe aplicado pela agência EB Vistos.

O consulado americano de Porto Alegre ressaltou que aos solicitantes de visto que a embaixada e os consulados dos Estados Unidos são as únicas fontes de informação autorizadas sobre o processo de solicitação de visto.

Depois da operação da Polícia Civil na Capital gaúcha, o Agora no RS conversou com Francieli Moeller, moradora de Santa Cruz do Sul, que vai viajar com uma amiga pela primeira vez para os Estados Unidos em setembro.

“Ao surgir a ideia da realização do visto, procurei ler muito sobre o assunto em blogs e sites diversos, bem como conversar com pessoas que já haviam realizado o visto. Cheguei a entrar em contato com agências de viagens, mas como esse serviço é cobrado [em torno de R$ 500,00 a mais], optei por fazer sozinha, afinal muitas pessoas conseguem fazer sozinhas, então acreditei ser capaz também”, disse Francieli.

Ela explicou como foi preencher o formulário que se encontra no site oficial do consulado americano. “Ao iniciar, eu e minha amiga trocamos muitas ideias para preenchimento do formulário no site, no qual possui diversas questões como, por exemplo, empresa onde trabalha, salário mensal, com quem irá viajar, qual o destino, onde ficará hospedado e etc…O preenchimento foi um pouco demorado para mim, em virtude de sempre estar acompanhando dicas dos blogs e realizar leituras em outros locais. Todo o site é traduzido e pode ate parecer difícil no início, mas com um pouco de atenção fica bem fácil.”

Leia mais:  Polícia indicia integrantes de quadrilha do RS que roubava veículos de luxo

Após o preenchimento, deve-se realizar o pagamento da taxa e posteriormente com o recebimento de um e-mail de confirmação do pagamento, torna-se possível a realização do agendamento. “Eu e minha amiga conseguimos realizar o agendamento para o mesmo dia e horário, foi super fácil. Para reunir a documentação que iria levar a entrevista, peguei dicas com outras pessoas [que já fizeram o visto] e também nos blogs”, conta Francieli.

Ela contou com detalhes como foi chegar ao consulado americano em Porto Alegre para realizar a entrevista. “Chegado o dia da entrevista, eles ordenam as pessoas para a entrada pelo horário do agendamento. Acabamos entrando 15 minutos antes do nosso horário. Ao entrar, deve-se deixar todos os pertences em uma bandeja e passar pelas ‘portas detectoras’, igual a aquelas de aeroporto.

Depois, antes da entrevista passa-se por outros dois guichês de atendimentos, onde no primeiro deve ser entregue o documento de confirmação de agendamento impresso, uma foto 5 x 5 [no qual no momento da realização do visto diz que não precisa levar, mas que dois dias antes encaminham e-mail com a solicitação da foto] e o passaporte. Depois, devolvem tudo juntamente com uma senha”, relata.

“Ao ser chamado para a entrevista, entrega-se o passaporte e iniciam-se as perguntas. A minha entrevista foi muito tranquila, até demais. Perguntaram onde trabalhava, há quanto tempo, com quem morava, quando pretendia ir aos Estados Unidos, para qual local, o que estudei e com quem ia. Após as perguntas, o rapaz da entrevista me desejou um bom dia e boa viagem. E aí, só sorrisos. Eles não devolvem o passaporte e nenhum documento, apenas finalizam desejando boa viagem mesmo”, completa Francieli.

Após três dias, ela recebeu um e-mail com a orientação da retirada do meu passaporte, sendo que o mesmo pode ser solicitado pelo correio (devendo ser pago uma taxa adicional) ou podendo ser retirado no local mesmo. A retirada no local pode ser realizada pela pessoa que pediu o visto ou por um terceiro, mediante autorização.

“Nada dos documentos que levei foi solicitado, sendo que estava prevenida, levando comigo extratos bancários, comprovação de endereço, carteira de trabalho, holerites e faturas de cartão. Em resumo, foi um momento de tensão, mas de extrema felicidade ao chegar ao final com o visto garantido para a viagem dos sonhos”, concluiu  Francieli.

Veja mais: Polícia Civil investiga fraudes em empresa de assessoria em vistos americanos