Na Serra

Polícia recupera R$ 450 mil roubados de bancos, lotérica e posto de Jaquirana

Armas apreendidas pela polícia após confronto em Jaquirana. Crédito: Brigada Militar / Divulgação

Os cerca de R$ 450 mil roubados de dois bancos, uma lotérica e um posto de combustíveis ontem à tarde (5) em Jaquirana, nos Campos de Cima da Serra, foram recuperados pela polícia. A ação resultou na morte de três assaltantes e na prisão do motorista da quadrilha que provocou medo na região. As buscas prosseguem a um ladrão que conseguiu fugir do cerco.

Ao menos 60 policiais militares e 25 civis de cidades como Jaquirana, Bom Jesus, Vacaria, Caxias do Sul e Porto Alegre participaram da caçada aos bandidos. Após atacar os alvos, os ladrões seguiram para um matagal cerca de cinco quilômetros distante da cidade de Jaquirana, no interior do município.

Segundo a Polícia Civil, o preso – identificado como Clodoaldo Pereira e que é de Caxias do Sul – esperou o bando em um ponto combinado em um Renault Scenic. Quando a quadrilha chegou ao ponto combinado, embarcou no veículo e foi levada pelo detido até um matagal.

Leia mais:  Liminar garante que bandidos ligados a facções sigam em presídios federais

Os bandidos, que estavam fortemente armados, pretendiam ficar escondidos até domingo no local. Para ficarem escondidos, os ladrões tinham duas mochilas com bolachas, refrigerantes, água, pães, doce de leite, salgadinhos, entre outros itens.

Quando o motorista da quadrilha voltava para Caxias do Sul, se deparou com a estrada bloqueada pela Brigada Militar. O carro foi parado e, ao ser inquerido pelos policiais, acabou sendo preso por não conseguiu explicar o motivo que estava naquela região. Em depoimento, acabou confessando a participação no assalto.

A partir daquele momento, os policiais montaram uma emboscada para prender os bandidos. No entanto, na hora em que as ordens de prisão foram dadas, os ladrões reagiram e houve troca de tiros. Um assaltante conseguiu fugir e três foram mortos no tiroteio.

Quatro fuzis e pistolas foram apreendidos. A investigação está a cargo do DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais). Até o momento, o nome dos criminosos não foram divulgados pela polícia.