animal raro

Depois de mais de 15 anos onça parda é flagrada no Parque Itapuã

Técnicos da Sema registram as pegadas do animal. Foto: Sema/Divulgação

Uma notícia boa para os ambientalistas. Mais de 15 anos após o último registro, uma onça parda voltou a ser flagrada no Parque Estadual de Itapuã, em Viamão.

Consideradas raras, as imagens foram capturadas por uma câmera noturna instalada próxima ao Morro da Grota, no interior do parque. Vinculado à Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Itapuã é uma unidade de conservação de proteção integral.

De acordo com a gestora do parque, Dayse Rocha, o registro indica que a unidade está cumprindo o seu papel. “É uma evidência que o parque está exercendo a sua função de garantir a biodiversidade e preservar o meio ambiente”, ressalta. Segundo Dayse, o parque irá promover uma campanha de conscientização ambiental para proteger o animal.

Também conhecida como puma, leão-baio ou suçuarana, a onça parda é o segundo maior felino do continente americano, atrás apenas da onça pintada. Pode chegar a pesar 75 kg e medir mais de dois metros.

Registrado no parque pela última vez em setembro de 2002, a onça chegou a ser considerado extinto por pesquisadores da área. No entanto, em julho de 2017, um pescador afirmou ter avistado uma onça no parque. Desde então, uma equipe da Sema executou uma série de ações para encontrar vestígios da onça.

Segundo a analista ambiental Luisa Lokschin foram identificadas pegadas do animal e, a partir da localização delas, instaladas armadilhas fotográficas. “Depois que achamos as pegadas, fizemos um grande esforço para ter essa imagem”, destaca.