Morre aos 86 anos o ex-presidente do Grêmio Fábio Koff

Koff estava internado no Hospital Moinhos de Vento. Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

O Grêmio perdeu nesta quinta-feira (10) o seu ex-presidente Fábio André Koff, ao 86 anos. Ele faleceu no Hospital Moinhos de Vento, onde estava internado.

Segundo o boletim do médico pneumologista Pierangelo Tadeu Baglio, o falecimento de Fábio André Koff, ocorreu às 7h20min desta manhã. Ele estava hospitalizado desde 3 de maio, quando deu entrada por quadro de mal estar, piora do estado geral e febre. Inicialmente, foi constatada anemia severa, e exames adicionais evidenciaram infecção hepática.

Ainda segundo o boletim, após resposta clínica apenas parcial aos antibióticos e demais medidas instituídas, o paciente foi transferido ao Centro de Tratamento Intensivo (CTI), na última segunda-feira (7). Em um quadro clínico de septicemia, insuficiência respiratória e disfunção de múltiplos órgãos, os cuidados intensivos foram mantidos durante todo o período, mas Koff não resistiu.

Em sua página, o Grêmio publicou nota de pesar, ainda sob o efeito da notícia:

“Com enorme pesar o Grêmio informa o falecimento do seu eterno presidente Fábio André Koff, nesta quinta-feira, aos 86 anos.

O Clube expressa toda consternação pela perda de um símbolo de sua história, responsável pela maior glória já alcançada dentro de campo, e solidariza-se com sua família, amigos e com a torcida tricolor.

O corpo do presidente Fábio André Koff será velado no saguão principal da Arena (Saguão A) a partir das 15h30. O local será fechado às 22h e reaberto às 7h para missa de corpo presente.

O maior campeão do clube

Nascido em Bento Gonçalves, em 13 de maio de 1931 – ia completar 87 anos no domingo – Fábio Koff foi um dos mais bem-sucedidos dirigentes de clubes do país, colecionando títulos pelo seu time do coração, que presidiu nos anos de 1982-1983, 1993-1996 e 2013-2014. Advogado, magistrado e com passagem pela política, sua paixão sempre foi o futebol e o Grêmio. Presidiu ainda o Clube dos 13.

Foi em sua primeira gestão como presidente que o clube conquistou seus primeiros e mais importantes títulos internacionais, como a primeira Libertadores e o Mundial, em Tóquio, com o atual técnico gremista, Renato Gaúcho, como um dos principais jogadores.

Conquistou ainda a Copa do Brasil de 1994, a Libertadores de 1995 e a Recopa Sul-Americana e o Brasileirão de 1996, além de ter sido vice-campeão mundial em 1995.