Prejuízos

Empresas decidem parar produção em reflexo da paralisação de caminhoneiros

Empresas do polo metalmecânico de Caxias do Sul, na Serra gaúcha, decidiram interromper a produção em reflexo da crise deflagrada pela paralisação dos caminhoneiros. Conforme as empresas, a matéria-prima está parada nas estradas, sem conseguir chegar nas fábricas.

A Randon, que fabrica autopeças, implementos rodoviários e veículos, decidiu suspender os turnos de hoje (25). Cerca de 9 mil funcionários foram dispensados. A paralisação da planta pode prosseguir se os caminhoneiros mantiverem seus protestos.

Outra empresa que paralisou as atividades foi a fabricante de ônibus Marcopolo, que decidiu suspender atividades entre hoje e sexta-feira que vem (1º de junho). A Agrale também parou a produção.

Paralisação em Gravataí

A GM (General Motors) paralisou as atividades da fábrica da Chevrolet em Gravataí há dois dias. As peças ficaram paradas nas estradas e não chegaram na linha de produção. Outras centenas de carros prontos estão em caminhões cegonha, sem previsão de deixar a empresa.