Caminhoneiros bloqueiam rodovias no RS durante o 4º dia de greve nacional

Crédito: Foto Marcelo Pinto / APlateia

A greve dos caminhoneiros chega nesta quinta-feira (24) no quarto dia de mobilização nacional. O movimento, que pede redução no preço dos combustíveis e melhor condições de trabalho, já provoca desabastecimento de gasolina, de alimentos perecíveis e outros insumos.

Ao menos 30 municípios gaúchos já registram falta de combustível. As cidades mais afetadas são as que ficam próximas de polos regionais. Em Porto Alegre, desde ontem à tarde há falta de gasolina em alguns bairros da cidade.

Filas são registradas em postos de toda cidade que ainda possuem estoque de gasolina há pelo menos 12 horas. O litro subiu de preço, passando para até R$ 4,79 em alguns locais. O receio dos motoristas é de que ocorra um desabastecimento generalizado.

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) ainda não atualizou os locais de protesto pelo Rio Grande do Sul. Até ontem à noite, haviam manifestações na BR-290, em Butiá, Pantano Grande e em Alegrete; na BR-116, em Guaíba; e em pontos de Camaquã; na BR-386, em Montenegro e em Nova Santa Rita; na BR-471, em Rio Pardo; BR-101, em Três Cachoeiras; BR-158, em Santa Maria; BR-392, em Santa Maria e em São Sepé;
na BR-287, em São Pedro do Sul e na BR-472, em Itaqui.

Conforme o CRBM (Comando Rodoviário da Brigada Militar), há vários pontos de manifestação pelo Estado. Nenhuma delas possui bloqueio. A atualização é das 7h da manhã.