Paralisação de funcionários de empresa de coleta de lixo prejudica o serviço em Porto Alegre

Garis e caminhões próprios do DMLU já estão sendo utilizados. Foto: Reprodução/Twitter/SMURB

Os serviços de coleta de lixo em Porto Alegre estão prejudicados devido a uma paralisação de funcionários da empresa BA, que realiza a coleta manual orgânica na cidade. Segundo o secretário de Serviços Urbanos, Ramiro Rosário, o atendimento nos bairros previstos para esta madrugada e manhã foram prejudicados, como no caso do bairro Petrópolis. O secretário informou ainda que a prefeitura está em dia com os pagamentos da empresa e que não há atraso de repasses, e que estão averiguando o problema junto à empresa. Ele lembra, que, em caso de paralisação parcial dos serviços, é possível que hajam sanções contratuais à terceirizada.

“A nossa fiscalização tem atuado firmemente para garantir a boa execução dos contratos. Entre outras autuações, a empresa BA, inclusive, foi multada em janeiro deste ano em R$130mil devido a problemas no GPS dos caminhões”, informou o secretário.

A empresa BA presta serviços de coleta manual orgânica, com caminhão e garis, não havendo paralisação na coleta automatizada, feita através dos contêineres da área central e coleta seletiva.

“Seguiremos na busca da solução para o impasse junto à empresa e, tão logo possível, informaremos aos porto-alegrenses sobre os desdobramentos e as medidas tomadas”, completou Rosário.

“Reafirmo que a prefeitura está em dia com pagamentos da BA, empresa responsável pela coleta manual (caminhões com garis). Houve ganho de causa da prefeitura na Justiça para alterar o pagamento da empresa de quinzenal para mensal. Empresa estava ciente desta decisão. A prefeitura segue trabalhando para solucionar o impasse”, finalizou.

O secretário informou ainda que garis e caminhões próprios do DMLU já estão sendo utilizados desde a madrugada para amenizar o impacto da paralisação de funcionários da empresa BA.

Caminhões liberados

No início da noite o secretário informou pelo Twitter que, após intervenção da Brigada Militar – o piquete havia seguido com o bloqueio mesmo após os funcionários receberem os salários – foi cumprida a medida que garantia a liberação dos portões da BA, e 15 caminhões já haviam saído para realizar a coleta domiciliar orgânica.

“Processo administrativo será aberto para aplicar sanções à empresa devido à paralisação indevida”, completou.