Retomada das obras do Instituto de Educação custará R$ 28,5 milhões

A licitação para finalização das obras do Instituto de Educação dará mais segurança e transparência ao processo. Foto: Leandro Osório/Especial Palácio Piratini

A retomada da reforma e do restauro do Instituto de Educação General Flores da Cunha, em Porto Alegre, teve um desdobramento importante nessa quarta-feira (28). A Secretaria da Educação (Seduc) encaminhou à Central de Licitações (Celic) o pedido de início para o processo de escolha da empresa que finalizará as obras. O documento foi elaborado de forma conjunta entre técnicos da Seduc, da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG) e da Secretaria de Obras, Saneamento e Habitação (SOSH), e encerra o impasse sobre a modalidade de contratação – processo emergencial ou licitação.

Segundo o secretário da Educação, Ronald Krummenauer, a escolha da empresa por meio de licitação, apesar de demorada, dá mais segurança e transparência ao processo, que envolve R$ 28,5 milhões, provenientes do Bird.

“A ideia é criar uma força-tarefa com a participação das secretarias diretamente envolvidas para dar celeridade ao processo com benefício aos alunos”, destacou Krummenauer. Será realizada uma reunião na próxima segunda-feira (2), às 8h30, na Casa Civil, com representantes dos órgãos envolvidos na licitação, considerada prioridade pelo governo do Estado.

Construído em 1935, o Instituto de Educação General Flores da Cunha é considerado patrimônio histórico do Rio Grande do Sul e, por isso, precisa de know-how arquitetônico específico para restauração, visando à sua proteção.