Quatro homens são executados a tiros na zona Norte de Porto Alegre

Quatro homens foram executados a tiros em dois pontos distintos da Vila Elizabeth, no bairro Sarandi, na zona Norte de Porto Alegre, neste sábado (13). Os crimes ocorreram já sob a luz do dia, por volta das 6h30, e em via pública. Um quinto homem foi baleado no tórax, mas sobreviveu ao tiroteio.

Conforme a Polícia Civil, os dois ataques a tiros, que tiveram cada um dois mortos, ocorreram na rua 21 de Abril e na avenida Faria Lobato. Os responsáveis pelos quatro homicídios seriam os mesmos.

O relato policial aponta que pelo menos três criminosos em um carro teriam chegado em frente a uma casa que funciona também como bar na primeira rua citada. Eles procuravam por um homem que não estava no local.

Logo após perguntarem, realizaram uma série de disparos de arma de fogo contra três homens que estavam no bar bebendo. Um menor de idade que também no local e foi sequestrado. Ele foi levado pelos bandidos até uma casa no segundo endereço.

Lá, os criminosos encontraram o suposto alvo a quem procuravam e o executaram. Para impedir que o menor de idade ficasse de testemunha do triplo homicídio, também o mataram. Os bandidos pegaram o carro usado no crime e fugiram.

Os indivíduos mortos foram identificados como Érick Anderson Santos de Oliveira, de 19 anos, com antecedentes criminais por roubo de veículo e porte ilegal de entorpecentes; Matheus Alexandre Doere, 19, sem antecedentes criminais, ao contrário do que havia sido informado pela policia; Tadeu Borba Araújo Júnior, 33, com antecedentes por roubo a pedestre; e o adolescente Castor Ezequiel Pinto, de 17 anos, que não possuía passagens policiais. As informações são da Polícia Civil.

Um quinto homem que estava no bar, primeiro ponto atacado, foi socorrido ao HCR (Hospital Cristo Redentor), após ser baleado no tórax. Ele, que possui antecedentes criminais por roubo a pedestre e porte ilegal de entorpecentes, segue internado. Conforme testemunhas, os três primeiros baleados estavam bebendo em frente a um bar quando houve o tiroteio.

Crime foi motivado pelo tráfico de drogas, acredita polícia

A 3ª DPHPP (3ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa) é a encarregada de elucidar o quádruplo homicídio. Conforme o delegado Cassiano Cabral, a região onde os crimes ocorreram é conhecida pelo tráfico de drogas, já que é dominada por uma facção. Por isso, a principal linha de investigação é disputa pelo controle da venda de entorpecentes.

Segundo o policial, testemunhas relataram que os criminosos estavam em um veículo branco da Peugeot. Conforme Cabral, a polícia já tem suspeitos para o crime, mas ninguém foi preso até o momento porque as investigações estão no início. A hipótese de que pelo menos três das quatro mortes foram aleatórias não está descartada.