Cheia do Guaíba faz 200 pessoas deixarem suas casas nas ilhas de Porto Alegre

Aproximadamente 120 pessoas foram alojadas na Escola Estadual Alvarenga Peixoto devido ao alto nível de água do Guaíba na Ilha dos Marinheiros. Foto: Joel Vargas/PMPA

De acordo com a Defesa Civil de Porto Alegre, 120 pessoas estão abrigadas na Escola Estadual Alvarenga Peixoto, na Ilha Grande dos Marinheiros, em decorrência de alagamentos provocados pela cheia do Guaíba. Na Ilha da Pintada, 20 pessoas estão acampadas na beira da BR-290 e 60 pessoas estão em torno da rodovia da Ilha do Pavão. Técnicos da Fasc (Fundação de Assistência Social e Cidadania), agentes da SMS (Secretaria Municipal da Saúde) e uma guarnição da Guarda Municipal prestam apoio.

O coordenador adjunto de Defesa Civil da Caoital, Marco Moura, esteve reunido com o presidente da Fasc, Solimar Amaro, e a equipe técnica do CRIP (Centro de Relação Institucional e Participativa) das Ilhas para falar sobre medidas necessárias decorrentes da instalação do abrigo. “Se houver necessidade, a Defesa Civil fará a instalação de outro abrigo. Até o momento, a Escola Alvarenga atende às demandas”, disse Moura.

Na tarde deste domingo (11), o nível do Guaíba, no Cais Mauá, esteve em 2,43 metros. E 2,24 metros na Ilha da Pintada. Apesar de estar acima cota de cheia — 2,10 metros—, o nível segue distante da marca de 2015, quando atingiu 2,89 metros, conforme a PMPA (Prefeitura Municipal de Porto Alegre).