PF assume investigação sobre ataque a bancos em Arvorezinha

Foto: Reprodução / Divulgação / BM

A PF (Polícia Federal) irá assumir as investigações sobre o duplo ataque a banco em Arvorezinha, no Vale do Taquari. O assalto, que resultou na morte de um dos reféns, ocorreu na quinta-feira passada (7).

O inquérito ficará a cargo do órgão federal porque as duas agências atacadas – Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil pertencem à União. O entendimento sobre a jurisdição para as investigações foi do Poder Judiciário.

No entanto, o chefe de polícia Emerson Wendt, afirmou, via Twitter, que a Polícia Civil continuará à disposição para auxiliar na investigação. Até o momento, apenas o motorista da quadrilha foi preso.

Como foi o ataque

Armados com armas longas, os assaltantes chegaram ao Centro de Arvorezinha por volta das 14h e obrigaram clientes e funcionários dos bancos a fazem um cordão humano em volta da Caixa Econômica Federal e assaltaram o banco. A seguir, foram até o Banco do Brasil, onde também roubaram dinheiro. Eles ainda tentaram entrar na cooperativa de crédito Sicredi, mas não conseguiram.

A quadrilha, que estava em dois carros, fugiu em direção a Guaporé, levando três pessoas como reféns. Houve confronto entre guarnições e os bandidos. Logo depois, um dos reféns, Gelson Caproski, 33 anos, foi morto. Ele era cliente de uma das agências atacadas pela quadrilha.

Os outros reféns sequestrados em frente aos bancos foram liberados a cerca de um quilômetro do local do confronto. No local, os criminosos ainda colocaram fogo em um veículo.

A investigação irá apontar se o tiro que matou a vítima partiu dos criminosos ou dos policiais. Os criminosos procuraram abrigo em um matagal, próximo da cidade de Guaporé. Cem policiais prosseguem um cerco, apesar de não terem mais pistas dos bandidos.