NA B3

Porto Alegre: Cais Mauá é concedido à iniciativa privada em leilão de lance único

O consórcio poderá utilizá-lo para incorporação imobiliária

Compartilhe:
Armazéns do Cais Mauá. Foto: Joel Vargas/PMPA

O Cais Mauá, em Porto Alegre, foi vendido à iniciativa privada, nesta terça-feira (6). A concessão ocorreu em leilão de lance único na B3, Bolsa de Valores brasileira, sediada em São Paulo. Agora quem passa a operar no local é o Consórcio Pulsa RS, que engloba as empresas Spar Participações e Desenvolvimento Imobiliário e a Credlar Empreendimentos Imobiliários.

O poder público, como contraprestação, irá transferir o imóvel das docas. O consórcio poderá utilizá-lo para incorporação imobiliária. A estrutura estava avaliada em R$ 145 milhões e foi arrematada por cerca de cerca de R$ 144 milhões, teto estipulado no edital. Vencia justamente quem exigisse menor contra partida do Estado e valorizasse mais o patrimônio público.

O Pulsa RS irá administrar o trecho do Gasômetro até a Rodoviária de Porto Alegre pelo período de 30 anos. Os investimentos devem chegar a R$ 353,3 milhões. O edital prevê a reestruturação dos armazéns tombados e do pórtico central, além da revitalização das docas ainda nos cinco primeiros anos de concessão.

Está prevista também a substituição de parte do Muro da Mauá por um sistema de contenção de cheias diferente do atual. Esta parte depende da aprovação dos órgãos competentes.

Ao todo, nos três quilômetros e 181,2 mil metros de extensão, o Cais possui 12 armazéns e três docas. No período de concessão, será permitida a circulação de pessoas e proibida a cobrança de ingresso para o acesso ao espaço. Contudo, será possível  utilização do local para empreendimentos residenciais ou corporativos.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: