AINDA EM FEVEREIRO

CSG prevê implementação de mais cinco pedágios sem cancelas no Vale do Caí e na Serra

Os novos pedágios devem passar a operar ainda em fevereiro. Conforme a CSG, a largada depende só de autorização da Agergs

Compartilhe:
Foto: Gustavo Mansur/Secom

A concessionária CSG (Caminhos da Serra Gaúcha) vai para o seu segundo ano de concessão em rodovias do Vale do Caí e da Serra gaúcha com novas metas. Os 12 primeiros meses de concessão foram concentrados na execução dos trabalhos iniciais de pavimentação, sinalização e reformas nas seis malhas viárias, que cruzam 18 municípios, assim como a intervenção emergencial durante as chuvas que assolaram o Estado.

Agora estão previstas a adequação e implementação de 34,66 km de acostamentos em trechos das rodovias administradas, a implementação, ainda neste mês de fevereiro, da cobrança de cinco pórticos de free flow. Também serão mantidos todos os parâmetros de conservação da pavimentação, alargamento e reforço de pontes e viadutos, drenagem, sinalização, terraplenos, elementos de proteção e segurança, atendimentos médico, mecânico e ao cliente, ouvidoria, entre outros.

Quanto ao free flow, o primeiro do país a funcionar em rodovias estaduais, trata-se de um sistema de cobrança de pedágio com passagem livre, sem cancelas. A tecnologia opera por pórticos com câmeras e sensores de identificação de veículos. Segundo o concessionária, o objetivo é possibilitar autonomia na gestão da viagem, proporcionando fluidez e economia no tráfego, além de ajudar na preservação do meio ambiente, devido à redução de gases poluentes.

Os novos pórticos já estão instalados. Eles estão localizados em São Sebastião do Caí (km 4,6 da ERS-122), Farroupilha (km 45,5 da ERS-122), Ipê (km 151,9 da ERS-122), Capela de Santana (km 30,09 da ERS-240) e em Carlos Barbosa (km 6,5 da ERS-446). Falta apenas autorização da Agergs (Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul). Neste momento, já há o sistema de Antônio Prado, que está em operação desde dezembro de 2023.

Ainda para o segundo ano, a CSG prevê construir um PPD (Ponto de Parada e Descanso de Caminhoneiros), com previsão de conclusão até janeiro de 2025. O local da obra está em fase de estudo.

Por fim, entre novembro deste ano e janeiro de 2025 devem ser iniciadas as duplicações no Vale do Caí e na Serra Gaúcha, que, nesta primeira etapa, incluirá as rodovias ERS-122 (contorno de Caxias do Sul), RSC-453 (entre Farroupilha e Bento Gonçalves) e a RSC-240 (travessia urbana de Montenegro). Até 2030 serão duplicados 120 km entre as regiões.

Primeiro ano

Também durante o primeiro ano de concessão, a CSG construiu cinco bases de atendimento aos clientes em Ipê (ERS-122 – km 151,8), Flores da Cunha (ERS-122 – km 99,5), Farroupilha (RSC-453 – km 118,6), Bom Princípio (ERS-122 km 36,1) e em Capela de Santana (ERS-240 – km 24,8).  Adaptadas para pessoas com deficiência, as estruturas de apoio estão indicadas nas rodovias como “Atendimento ao Usuário” e funcionam 24 horas por dia.

Outro projeto realizado no período foi o CCO (Centro de Controle Operacional), junto à base de atendimento ao cliente, em Farroupilha. Na estrutura, são realizados os monitoramentos, controles e gerenciamentos simultâneos de todos os 271,5 km de concessão. No local há ainda médico especialista orientando remotamente socorristas e enfermeiros durante operações de desencarceramento, atendimento e encaminhamento das vítimas aos hospitais.

A concessão

O conjunto de estradas da CSG representa 271,5 km de concessão no Vale do Caí e Serra Gaúcha. Desde 1º fevereiro de 2023, a empresa é responsável pela administração e manutenção de trechos da RSC-453 (km 101,43 ao 121,41), BR-470 (km 220,50 ao 233,50) e RSC-287 (km 0 ao 21,49), além da totalidade da ERS-122 (km 0 ao 168,65), ERS-446 (km 0 ao 14,84) e ERS-240 (km 0 ao 33,58).

O contrato de 30 anos prevê investimentos de mais de R$ 4,6 bilhões, sendo que cerca de 80% do valor será utilizado nos primeiros 10 anos do contrato. Entre as principais obras previstas para os sete primeiros anos da concessão estão a duplicação de 120 km de rodovias (67% do trecho), 55 km de faixas adicionais (3ª pista), 20 km de vias marginais (estradas paralelas às rodovias principais), 10 km de ciclovias (entre Caxias do Sul e Farroupilha), quatro postos de pesagem, 45 passarelas, 296 novos pontos de ônibus, ampliação da segurança viária e sinalização, atendimento 24 horas de socorro médico e mecânico, manutenção, entre outras ações.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: