PIONEIRISMO

Museu Julio de Castilhos reabre com exposição sobre protagonismo das mulheres da saúde do RS

A mostra retrata o trabalho e a contribuição das irmãs luteranas para a medicina e enfermagem gaúchas

Compartilhe:
Foto: ASCOM SEDAC/Divulgação

O Hospital Moinhos de Vento realiza, a partir desta quarta-feira (31), uma exposição no MJC (Museu Julio de Castilhos), na Rua Duque de Caxias, 1205, no Centro de Porto Alegre, chamada “Schwestern: mulheres protagonistas da história da saúde no Rio Grande do Sul”. A mostra retrata o trabalho e a contribuição das irmãs luteranas para a medicina e enfermagem gaúchas.

O acesso é gratuito ao Museu, que até então estava fechado devido a danos causados pelo temporal que atingiu a cidade em 16 de janeiro. No andar térreo da casa amarela, Schwestern (irmãs, em alemão) celebra o 121º aniversário do Museu, comemorado nesta terça-feira (30) e, ainda, integra comemoração do Bicentenário da Imigração Alemã. A Casa Julio permanece fechada para reparos.

A atração foi selecionada por meio de edital de ocupação do MJC 2023 e permanece em cartaz até o final de 2024 com painéis móveis, vitrines expositivas, fotografias e acervos tridimensionais.

Pioneiras

Consideradas pioneiras no setor, com importante participação no desenvolvimento da medicina no Rio Grande do Sul, as irmãs tiveram forte atuação nas dependências do Deutsches Krankenhaus (Hospital Alemão), como era chamado o Hospital Moinhos de Vento entre 1927 e 1942.

“Sem o incansável trabalho das Schwestern, muitos procedimentos que salvaram e continuam salvando milhares de vidas até hoje não teriam sido possíveis”, informa o CEO do Hospital Moinhos de Vento, Mohamed Parrini. Segundo ele, o primeiro reimplante de mão, o primeiro transplante de rim realizado no Estado e um dos primeiros Serviços de Controle de Infecções, procedimento que salvou muitas vidas durante a pandemia, também contaram com a participação das Irmãs.

A mostra relembra a chegada das Diaconisas ao Rio Grande do Sul em 1913, celebra os 85 anos da Casa Matriz Diaconisas abordando problemáticas que envolviam questões de gênero e de acesso das mulheres ao trabalho e à educação, bem como preconceitos advindos da própria congregação. A exposição também faz parte da programação do MJC nas comemorações do Bicentenário da Imigração Alemã.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: