Endividamento

Inadimplência das empresas bate recorde no RS em dezembro

Os dados são do Indicador de Inadimplência CDL Porto Alegre de dezembro para as pessoas jurídicas.

Compartilhe:

O percentual das empresas com restrição em crédito, cheque, protesto ou ação judicial no Rio Grande do Sul atingiu 14,48% em dezembro. Os dados são do Indicador de Inadimplência CDL Porto Alegre de dezembro para as pessoas jurídicas.

É o maior índice da série histórica, iniciada em junho de 2022. O acréscimo é de 0,18 ponto percentual em relação à leitura imediatamente anterior. De acordo com as estatísticas do Mapa das Empresas, o total estimado de CNPJ’s com negativação em termos absolutos alcança 199.505 em nível estadual.

As empresas do município de Porto Alegre também registraram incremento na mesma base de comparação: +0,10 ponto percentual (de 15,45% para 15,55%). Esse é o segundo valor mais elevado desde o começo do levantamento, perdendo apenas para outubro (15,57%). Na Capital, são pelo menos 34.487 empresas com restrição de crédito, de acordo com o Mapa das Empresas.

Endividamento pessoal

Para pessoas físicas, o Indicador aponta crescimento no Rio Grande do Sul e leve recuo em Porto Alegre. No mês de dezembro, em termos absolutos, 2,6 milhões de gaúchos estavam negativados, conforme estimativa que leva em consideração o Censo de 2022. É um aumento de 18,9 mil em comparação com a leitura anterior. Já para a Capital houve leve recuo, de 0,07 ponto percentual. Ao todo, são 356,7 mil pessoas inseridas no banco de dados.

De acordo com o levantamento, o percentual de adultos com restrição em crédito, cheque ou protesto somou 30,65% em nível estadual e 33,18% para a Capital em dezembro. No RS, houve elevação de 0,22 ponto percentual em comparação com novembro, de modo que o resultado praticamente devolveu a queda verificada nos dois meses anteriores.

O economista-chefe da CDL POA, Oscar Frank, explica que parte expressiva desse avanço no indicador estadual (em torno de 40%) se deve ao município de Pelotas, cujo índice saltou de 31,9% para 35,1%.

Segundo Frank, a prefeitura local enviou para inclusão no cadastro de negativados do SCPC da Boa Vista/Equifax cerca de 250 mil registros no valor de R$ 78 milhões em virtude de pendências com tributos, como o IPTU. A cobrança integra estratégia de fortalecimento da arrecadação visando a melhora da situação das contas públicas do município.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: