JUSTIÇA

Homem que foi preso por “suposto apelido” é absolvido em Alvorada

Segundo a Defensoria Pública, homem, que tem 30 anos, era acusado de ter participado de um duplo homicídio.

Compartilhe:

Um homem que passou os últimos cinco anos preso preventivamente pôde, enfim, retornar à vida em sociedade.

A Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul conseguiu, a partir da tese de negativa de autoria, garantir a absolvição do homem no Tribunal do Júri ocorrido em Alvorada, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Segundo a Defensoria Pública, homem, que tem 30 anos, era acusado de ter participado de um duplo homicídio em junho de 2018, em Alvorada, motivado por disputa de território entre facções. Outros cinco réus estariam envolvidos nos fatos.

“A denúncia se baseava em um vídeo gravado durante o assassinato de uma das vítimas. Nas filmagens, o autor dos disparos chamava a pessoa que realizava as gravações por um apelido”, disse a Defensoria Pública.

“Apesar de não aparecer qualquer parte do rosto ou algo que auxiliasse na identificação, as investigações relacionaram a alcunha ao assistido da Defensoria Pública, que foi preso preventivamente como o responsável pelos registros e pelo crime. Além disso, o homem foi acusado de corrupção de menores e associação criminosa”, completou.

Após passar os últimos cinco anos preso, o homem foi absolvido em o plenário do júri.  “A defensora pública Caroline Tourrucôo de Ermida Frias conseguiu comprovar a não autoria dos homicídios e a inexistência dos outros dois crimes ligados ao assistido”, finalizou a Defensoria Pública.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: