Balneabilidade

Rio Grande do Sul tem 80 praias próprias para banho, aponta Fepam

Todos os pontos considerados impróprios para banho são em água doce. Confira a lista:

Compartilhe:
Trapiche do Laranjal, em Pelotas.
Trapiche do Laranjal, em Pelotas. Foto: Marcel Avila / Prefeitura de Pelotas (arquivo)

Foi divulgado nesta sexta-feira (29) o terceiro relatório de balneabilidade das praias do Rio Grande do Sul na temporada de verão 2023/2024. Entre os 91 pontos analisados, em 44 municípios gaúchos, nove foram considerados impróprios para banho. Nenhum dos locais impróprios para banho é banhado por mar.

Conforme os dados da Fepam (Fundação Estadual de Proteção Ambiental), extraídos do portal Baln, os locais impróprios para banho são:

  • Alegrete: Balneário Caverá – Arroio Caverá;
  • Barra do Ribeiro: Praia Recanto das Mulatas – Lago Guaíba;
  • Candelária: Balneário Carlos Larger – Rio Pardo;
  • Cerrito: Balneário Cerrito – Rio Piratini;
  • General Câmara: Balneário Cachoeirinha – Rio Jacuí;
  • Pedro Osório: Balneário Pedro Osório – Rio Piratini;
  • Pelotas: Valverde, Av. Senador Joaquim A. de Assunção;
  • Pelotas: Valverde, Trapiche;
  • Santa Maria: Balneário Passo do Verde – Rio Vacacaí;
  • São Jerônimo: Praia do Encontro – Rio Jacuí;
  • Tapes: Balneário Rebelo.

No Litoral Norte, entre a praia de Quintão, em Palmares do Sul, e Torres, são 31 pontos de água salgada monitorados. As coletas de amostras na região são feitas semanalmente pela Gerência Regional do Litoral Norte Sema-Fepam, que envia o material para análise microbiológica pela Divisão de Laboratórios, em Porto Alegre.

Já o monitoramento dos demais pontos – que inclui águas lagoas e rios, como no Litoral Médio e Sul – é realizado com apoio da Corsan (Companhia Riograndense de Saneamento) e do Sanep (Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas).

Recomendações aos banhistas

  • Procure entrar na água apenas em locais que apresentem condição PRÓPRIA para o banho;
  • Tenha atenção especial com as crianças e idosos, pois são mais sensíveis e menos imunes;
  • Evite tomar banho em época chuvosa e nas primeiras 24 horas após chuvas intensas, já que a tendência é de carreamento de esgotos e resíduos para os cursos d’água, o que pode ocasionar picos de contaminação dos rios e oceanos;
  • Evite entrar na água nos períodos de cheia do rio, quando o leito está fora do seu curso normal, e em canais pluviais, saídas de “sangradouros”, córregos ou rios que afluem nas praias, pois podem estar contaminados por esgoto doméstico;
  • Não tome banho em locais com concentração de algas, já que podem conter toxinas altamente prejudiciais à saúde.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: