Torneiras secas

Protesto cobra retorno da água para bairros da zona leste de Porto Alegre

Manifestantes bloquearam o cruzamento das ruas Siqueira Campos com General Joao Manoel, no Centro Histórico.

Compartilhe:
Manifestação chegou a bloquear a Siqueira Campos. Crédito: Leonardo Severo / Agora RS

Moradores dos bairros atingidos pela falta de água fizeram uma manifestação na manhã desta sexta-feira (22) em frente à prefeitura de Porto Alegre. O grupo chegou a bloquear o cruzamento das ruas Siqueira Campos com General Joao Manoel, no Centro Histórico. Um motorista que tentou furar o bloqueio foi orientado a recuar (veja no vídeo abaixo).

Com gritos de “Fora Melo” e “prefeito, não retire o meu direito”, os moradores, revoltados com a situação, exigiram que a prefeitura tome medidas. A reclamação é que algumas casas estão há 16 dias sem abastecimento. Até as 10h15 da manhã, nenhum representante da Prefeitura de Porto Alegre foi conversar com os manifestantes.

Nesta sexta-feira, estão sem fornecimento de água os bairros Bom Jesus, Petrópolis, Três Figueiras e Chácara das Pedras. No entanto, moradores do bairro Lomba do Pinheiro dizem que não têm água nas torneiras. Ao todo, 21 caminhões-pipa estão sendo usados para ampliar o abastecimento de água nas regiões atingidas.

Manifestação chegou a bloquear a Siqueira Campos. Crédito: Leonardo Severo / Agora RS

Parte dos bairros da zona leste de Porto Alegre estão com problemas de abastecimento há, pelo menos, duas semanas. O DMAE (Departamento Municipal de Águas e Esgotos) afirma que o problema de abastecimento de água começou com a alta de demanda após o calorão da semana passada. A situação foi agravada pela falta de energia, o que reduziu os reservatórios e causou instabilidade no fornecimento de energia na ETA (Estação de Tratamento de Água) Belém Novo, que leva água até o bairro Lomba do Pinheiro.

As quedas de energia teriam causado desligamento dos equipamentos por até 4 horas. A produção de água nos reservatórios só foi retomada no último domingo (17), no auge da onda de calor. Além disso, houve danos nos equipamentos pelas sucessivas quedas.

Anteontem, a Câmara de Vereadores de Porto Alegre aprovou um projeto de lei que autoriza a contratação de 140 de servidores temporários para a autarquia. Serão contratados 40 Técnicos de Saneamento, 20 Técnicos em Tratamento de Água e Esgotos, 50 Agentes de Saneamento e 30 Operadores de Subestação. A prefeitura também deve nomear 20 assistentes administrativos, já aprovados em concurso público válido no Executivo, que serão alocados no Departamento.

Solução para déficit é concluir novo sistema de água tratada

O problema de abastecimento para os bairros da zona sul e leste da Capital gaúcha poderia ser resolvido se uma nova estação de tratamento de água estivesse operando. É a ETA Ponta do Arado, que deveria ter sido construída nos anos 2000, quando a região era menos povoada, mas que só saiu do papel em 2021.

A construção do novo sistema de abastecimento de água, no bairro Belém Novo, foi orçado em R$ 280 milhões, com financiamento pela Caixa Econômica Federal. O consórcio RGS/Cosatel/Calcar, vencedor da licitação, teve o contrato rescindido pela Prefeitura. Uma nova empresa foi contratada.

A adutora subaquática de captação de água, primeira obra do sistema concluída, foi finalizada em outubro de 2022 e as demais obras estão em andamento. A conclusão do novo sistema é previsto para 2025.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: