assentamento  Filhos de Sepé

Incra conclui reparos em barragem que teve extravasamento de Viamão

Obra de reparo na barragem do assentamento Filhos de Sepé, na área rural de Viamão, custou mais de R$ 800 mil ao Incra.

Compartilhe:
Crédito: Incra-RS/ Divulgação

O Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) recebeu a conclusão dos reparos na barragem do assentamento Filhos de Sepé, na área rural de Viamão. A estrutura teve um extravazamento causado pelo grande volume de água da chuva, o que inundou campos no entorno da estrutura.

No dia 24 de novembro, técnicos do Incra constataram uma ruptura de pequenas proporções na ombreira da represa. As obras começaram no dia 25 de novembro, com a colocação de saibro, argila e pedra rachão, o que permitiu estabilizar a área afetada. Os trabalhos atrasaram por causa do clima e do solo.

O reparo foi executado pela empresa SARGIL Comércio e Transporte de Minerais Ltda, contratada de forma emergencial por R$ 804 mil. “Prontamente autorizamos. Não fosse o esforço, a vontade, não acontecia. Temos que atender de fato às demandas da sociedade, e aqui havia necessidade e urgência”, comentou o superintendente do Incra/RS, Nelson José Grasselli.

O presidente da Associação dos Moradores do Assentamento Filhos de Sepé, Ivan Carlos Prado Pereira, agradeceu o esforço do Instituto, e disse que as famílias estão correndo atrás dos prejuízos com as lavouras de arroz. “Ano passado saímos de uma seca terrível, este ano esta cheia. Estamos juntando os cacos para plantar”, pontuou.

Barragem será regularizada

A autarquia também autorizou, em 23 de novembro, o início dos serviços de engenharia que atenderão às necessidades de regularização da barragem junto ao DRHS/SEMA (Departamento de Recursos Hídricos e Saneamento da Secretaria de Meio Ambiente e Infraestrutura do RS). A empresa Garden Consultoria Projetos e Gestão Ltda. está executando os serviços de reserva de disponibilidade hídrica, plano de segurança e condicionantes para outorga na barragem ao custo de cerca de R$ 60 mil.

Crédito: Sema RS / Divulgação

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: