POR MEIO DE PROFISSÃO

4 dicas para quem deseja obter o visto permanente para morar nos Estados Unidos

Hoje os Estados Unidos é, justamente, o local que mais se vivem brasileiros no exterior.

Compartilhe:
Foto: Pedro França/Agência Senado

Viver nos exterior tem se tornado o desejo de muitos brasileiros, visando oportunidades de carreira, qualidade de vida, segurança e educação.

Atualmente há cerca de 4,59 milhões de brasileiros morando mundo afora, o maior número desde 2009, segundo dados do Ministério das Relações Exteriores.

Existem algumas formas para conquistar o visto definitivo por meio da profissão, por exemplo. Porém, é necessário se enquadrar em alguns requisitos, conforme aponta o especialista em assessoria imigratória, Wagner Pontes.

“Uma das formas de se conseguir o visto permanente para morar nos Estados Unidos é o visto EB2-NIW. Esse é um processo baseado no interesse Nacional dos Estados Unidos de ter profissinais estrangeiros contribuindo e atuando no mercado de trabalho americano em determinados cargos estratégicos como engenheiros, profissionais da saúde e advogados”, completa o especialista.

Hoje os Estados Unidos é, justamente, o local que mais se vivem brasileiros no exterior com cerca de 1,9 milhão de pessoas, sendo as regiões de Nova York, com 500 mil, seguida por Boston (390 mil), Miami (295 mil), Orlando (180 mil) e Atlanta (110 mil), os distritos que mais vivem brasileiros no país.

O déficit de profissionais de saúde como, enfermeiros, dentistas e fisioterapeutas, pode chegar a 121 mil nos próximos oito anos, de acordo com a Associação de Colégios Médicos Americanos. A remuneração desses profissionais, que pode variar dependendo de cada estado, chega a US$43 por hora ou cerca de US$8 mil mensais, em Nova Iorque, conforme relatório da Indeed.

Visto permanente nos EUA através do trabalho:

Brasileiros que possuem interesse em morar legalmente Estados Unidos, via trabalho, precisam se enquadrar em uma das seguintes categorias:

EB-1 – Habilidades extraordinárias: São para profissionais de destaque e que possuem reconhecimento nacional ou internacional em diversas áreas, como: ciências, educação, artes, negócios ou esporte. O EB-1 não exige uma oferta de trabalho ou empregador.

EB-2 – Habilidades excepcionais: Essa modalidade de visto é voltada para profissionais com carreiras bem-sucedidas e consideradas pelo governo acima da média. O candidato ao visto precisa demonstrar uma capacidade excepcional no segmento da sua área.

Vale ressaltar que, nesse caso, ele e precisa ter uma empresa sendo sua sponsor, ou seja, que ofereça a vaga e salário correspondente ao cargo aplicado.

EB2-NIW (National Interest Waiver): Nesse caso, o visto pode ser adquirido com base no histórico profissional e acadêmico.

O candidato precisa ter um diploma de graduação superior (bacharelado), mais cinco anos de experiência, ou certificado de curso técnico com dez anos de experiência, ou ainda ter mestrado, doutorado e PHD em sua área de atuação, dispensando assim o tempo de experiência.

EB3: Esse visto também leva ao Green Card, mas ele é aprovado aos candidatos que tem uma oferta de trabalho nos Estados. Todo o processo é feito pela empresa que tem interesse no funcionário e só no final o candidato escolhido é apresentado à imigração.

A vantagem desse visto é que, por ser bem amplo, ele pode ser utilizado em diversas categorias profissionais, com requisitos bem diferentes – desde o graduado com nível acadêmico até o trabalhador com qualificações limitadas.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: