DIREITOS HUMANOS

Casa de Acolhimento LGBTQIA+ receberá R$ 250 mil para manter atividades, na Serra

O recurso deve ser liberado no final do próximo ano via emenda parlamentar

Compartilhe:

A casa de acolhimento LGBTQIA+ de Caxias do Sul, na Serra gaúcha, receberá, em 2024, R$ 250 mil para manutenção das atividades. Primeiro local para este fim no Sul do Brasil, a casa foi funda em 2021 pela ONG Construindo Igualdade que, desde 2003, atua no combate à discriminação e à violação de direitos humanos em função da orientação sexual ou identidade de gênero.

O recurso deve ser liberado no final do próximo ano via emenda parlamentar da deputada federal Denise Pessôa (PT). O valor será utilizado para despesas operacionais com aluguel, alimentação, água, luz e internet. Também serão ofertados cursos de capacitação profissional e proporcionada assistência psicológica e jurídica aos moradores da casa.

Os recursos vêm em boa hora. Isso porque em 2022 a ONG precisou reduzir a capacidade de atendimento por falta de dinheiro. Atualmente, o espaço é mantido por meio de doações da comunidade, campanhas de apadrinhamento e vendas no brechó solidário da entidade.

A entidade precisa muito destes valores pois, desde sua fundação, já recebeu mais de 60 pessoas de diferentes cidades gaúchas e até mesmo de outros Estados. Em sua maioria, são jovens expulsos de casa, pela própria família, devido à orientação sexual. Somente neste ano, foram 11 pessoas acolhidas.

“Com esse recurso, que vamos receber no final de 2024, poderemos até mesmo dobrar os atendimentos realizados, o número de moradores na casa e a quantidade de cursos oferecidos”, comemora Cleo Araújo, voluntária da ONG.

Além do serviço de acolhimento, a entidade contemplou mais de 200 pessoas da comunidade LGBTQIA+ com repasse de cestas básicas ao longo de 2023. Os alimentos foram arrecadados por meio de doações, vendas em brechós e feiras. Ademais, conforme balanço da direção da ONG, os mutirões de retificação de registro civil atenderam cerca de 40 pessoas.

Já o serviço de acolhimento e assistência psicológica a mulheres vítimas de violência chegou a 25 pessoas. Na área de capacitação profissional, os cursos de culinária, artesanato e preparação para o ENEM reuniram mais de 60 alunos. Todos os serviços são gratuitos à comunidade.

Violência contra mulher

A ONG Construindo Igualdade também receberá, no próximo ano, R$ 200 mil para a implantação do Núcleo de Enfrentamento à LGBTfobia e à Violência Contra a Mulher em Caxias do Sul. O recurso será repassado por meio de emenda parlamentar do deputado federal Elvino Bohn Gass (PT), com execução prevista para o último trimestre de 2024.

Serão oferecidos serviços de assistência psicológica, assessoria jurídica para retificação de registro civil de pessoas transexuais, travestis e não-binárias, além de ações de capacitação profissional de LGBTs e mulheres vítimas de violência.

Quem tiver interesse em ajudar a primeira casa de acolhimento LGBTQIA+ do Sul do Brasil com doação de recursos, alimentos ou disponibilidade para voluntariado, pode entrar em contato pelo fone/whats (54) 99161-3078.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: