REGIÃO METROPOLITANA

Operação combate roubos de carga de cigarros no RS

Dois alvos da operação foram presos

Compartilhe:

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira (23) uma operação policial nas cidades de Porto Alegre, Cidreira, Novo Hamburgo, Viamão, Cachoeirinha e Gravataí. O objetivo é  combater uma quadrilha especializada em roubo de carga de cigarro. O grupo criminoso é suspeito de praticar 12 crimes desta natureza. Os dois alvos da operação foram presos.

O principal alvo da ação, com mandado de prisão, possui 40 anos e já foi preso em flagrante por roubo majorado em março de 2023 na cidade de Esteio, na Região Metropolitana. Na ocasião, ele estava com uma carga de cigarro avaliada em mais de 70 mil reais.

O detido tem passagens policiais pelos crimes de homicídio doloso, roubo de carga, roubo a estabelecimento comercial, posse/porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, sequestro relâmpago, ameaça e falsa identidade. Atualmente, ele se encontrava em prisão domiciliar.

Funcionamento e investigações

A investigação foi realizada pelo DRFC (Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto de Carga) do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais). Ao todo, 64 policiais civis cumpriram 22 ordens judiciais, sendo 20 mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva.

Conforme as investigações, os criminosos armados rendiam os motoristas das empresas de cigarro e, depois de restringir a liberdade da vítima, a levavam para um local sem muita movimentação para roubar a carga. Os indivíduos são investigados por praticarem roubos em Porto Alegre e Região Metropolitana.

De acordo com a Inteligência da DRFC, associações criminosas têm se reunido para praticar crimes dessa natureza. O objetivo delas é facilitar o escoamento da mercadoria roubada.

Dois estabelecimentos comerciais, localizados no bairro Bom Jesus, também foram alvos dos mandados de busca e apreensão por suspeita de comercializarem os produtos subtraídos.

Dados

Segundo o Delegado Eibert Moreira Neto, Diretor de Investigações do Deic, apesar do decréscimo de mais de 35% nos roubos a motoristas de entrega de cigarro, esta carga segue sendo a mais roubada. O levantamento foi feito pela Divisão de Inteligência e Análise Criminal.

“Isso porque o escoamento do produto do roubo, além de rápido, já que é uma mercadoria vendida em qualquer lugar, como padaria, banca de jornal ou mercado, possui um alto valor comercial, possibilitando uma rápida rentabilização das facções criminosas, as quais utilizam estes valores, muitas vezes, para comprar armas e drogas”, explica o delegado.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: