Nossa Senhora da Conceição

Médicos do Hospital Conceição são investigados por fraude no registro do ponto

Ao menos dez profissionais concursados do Hospital Conceição, em Porto Alegre, são investigados pela fraude ao ponto.

Compartilhe:
Crédito: Polícia Federal / Divulgação

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (28) uma operação para investigar suposta fraude no registro de ponto no Hospital Nossa Senhora da Conceição. As irregularidades estariam sendo cometidas por médicos que registram a presença, mas não ficam no local de trabalho. Os pacientes e o hospital acabavam sendo prejudicados com um menor número de profissionais atuando.

A execução da Operação Hipócrates mobiliza 42 policiais federais para o cumprimento de 11 mandados de busca e apreensão em hospitais, clínicas e consultórios em Porto Alegre. Os crimes investigados são de peculato, falsidade ideológica e estelionato.

Os médicos se tornaram alvo de investigação após uma denúncia anônima. Os servidores investigados recebiam salários entre 14 e 31 mil reais, mas não cumpriam a jornada.

Ao menos dez profissionais concursados do Hospital Conceição estariam participando da fraude ao ponto. Segundo a denúncia, eles registravam o início da jornada de trabalho , posteriormente, saíam do hospital para outras atividades, voltando no fim da jornada sem cumprirem as escalas de atendimento. Dessa forma, diz a PF, os médicos conseguiam fazer o atendimento em clínicas particulares e outros hospitais.

A Polícia Federal aponta que diligências realizadas durante seis meses confirmaram o que foi relatado na denúncia. Os policiais conseguiram provas que os servidores deixavam o local de trabalho, faziam outras atividades durante o expediente e voltavam apenas para registrar a saída.

“A fraude, além de trazer prejuízos financeiros significativos ao HNSC, que não recebe a prestação do serviço contratado, também vitimiza os usuários do SUS (Sistema Único de Saúde)”, aponta a PF. Com a saída dos médicos para atividades privada, a instituição conta com menos médicos trabalhando do que aqueles constantes em seus registros e na folha de pagamento.

O nome da Operação é uma referência ao “Juramento de Hipócrates”, realizado pelos médicos no momento da formatura, no qual juram praticar a medicina honestamente. A palavra se aproxima do termo Hipócrita, que é uma transcrição do vocábulo grego ypokritís. Os atores gregos usavam máscaras de acordo com o papel que representavam numa peça teatral, dando origem ao termo hipócrita, que designa alguém que oculta a realidade atrás de uma máscara de aparência.

Crédito: Polícia Federal / Divulgação

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: