CAMPEONATO BRASILEIRO

Grêmio é atropelado pelo Atlético-MG em Minas Gerais

Sob o comando de Hulk, o Galo se sobressaiu técnica e fisicamente para cima do Grêmio

Compartilhe:
Hulk foi o nome do jogo – Foto: Pedro Souza / Atlético

O Grêmio foi goleado por 3 a 0 pelo Atlético-MG, na Arena MRV, na tarde deste domingo (26). Além da má atuação, o jogo deixa um alerta para as pretensões do Tricolor de conquistar o título da competição nacional.

Matematicamente ainda é possível. Também é verdade que o Grêmio tem pela frente dois frágeis adversários: Goiás e Vasco, este em possível desespero. Por fim, o itinerário gremista termina contra um Fluminense com hipotética desmobilização. Então é possível sonhar.

Agora, a atuação de hoje dá a impressão de um Grêmio aquém dos principais adversários. O próprio Galo que, com a vitória diante da equipe gaúcha, se candidata também ao título, sobrou contra o Tricolor neste domingo.

Kannemann não conseguiu deter Hulk e companhia – Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

É preciso pontuar questões técnicas. Contudo, antes de qualquer coisa, foi um atropelo físico. Kannemann parecia não ter força para deter Hulk; quando entrou, Ferreira parecia fraco e lento diante dos marcadores de lado do adversário; situação semelhante à de Suárez, que praticamente só conseguiu um chute na trave quando a goleada já estava definida.

Com a bola rolando, o Atlético era um time de extrema intensidade. Conforme os gols saíam ia adquirindo espaços e entrando rasgando na área gremista.

Isso sob o comando do exuberante Hulk. Ele une força, técnica e finalização. Tudo passava por ele. Foi dele o passe para o segundo gol, logo no início do segundo tempo, marcado por Zaracho. Depois, aos 12, ele recebeu nas costas dos zagueiros e chutou de direita, sem chance para Grando.

No primeiro tempo, mais uma demonstração da superioridade atleticana. o Galo havia aberto o placar aos 24. Kannemann afastou um cruzamento e a bola foi alta para a esquerda. O lateral Guilherme Arana, que ainda volta de grave lesão, acertou um canhotaço de bate-pronto.

Edenílson esteve em uma boa tarde – Foto: Pedro Souza / Atlético

Outro destaque do jogo foi a boa jornada de Edenílson, ex-Inter. Chama atenção como em um estilo de jogo mais direto, como o empregado por Felipão no Galo, e sem tantas obrigações ofensivas, “Ed” faz o que sabe de melhor – sabe ser um coadjuvante de luxo. Marca e ataca em extrema intensidade, servindo aqueles que carregam esse dever, caso da estrela Hulk.

Com o resultado, o Grêmio mantém os 59 pontos e sai do G-4. Restam três rodadas. O próximo desafio do Tricolor é contra o Goiás, quinta-feira (30), na Arena, às 19h. Noite de casa cheia.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: