MANIPULAÇÃO

Jogador é suspenso por dois anos por participar de esquema de apostas no Gauchão

Jogador é o primeiro condenado na esfera desportiva após a Operação Penalidade Máxima.

Compartilhe:

O Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul (TJD-RS) condenou, nesta segunda-feira (22), o lateral Nikolas Farias com uma pena de R$ 80 mil e 720 dias de suspensão por participação em um esquema de manipulação de resultados na edição 2023 do Campeonato Gaúcho.

Essa é a primeira punição de um atleta citado na operação Penalidade Máxima, realizada pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO). Nikolas Farias, que acabou sendo julgado à revelia por não comparecer à sessão, cometeu um pênalti contra o Esportivo no Campeonato Gaúcho de 2023, competição pela qual defendia o Novo Hamburgo.

No âmbito da investigação realizada pelo MP-GO, Nikolas (que está sem clube no momento) reconheceu as irregularidades e não foi processado criminalmente. Porém, no âmbito esportivo ainda cabia punição.

Inicialmente, estava marcado para ser julgado na mesma sessão o atacante Jarro Pedroso, do Inter de Santa Maria. Porém, o TJD-RS aceitou o pedido da defesa do jogador de adiar o seu julgamento para elaborar melhor a defesa.

Investigação

As investigações sobre esquemas de manipulação de resultados de jogos de futebol para favorecer apostadores foram realizadas a partir de fevereiro deste ano quando o MP-GO recebeu uma denúncia do presidente do Vila Nova, Hugo Jorge Bravo.

Naquela oportunidade, o dirigente revelou que o meia Marcos Vinícius Alves Barreira, mais conhecido como Romarinho (que teve o contrato rescindido em 2022), aceitou R$ 150 mil para cometer um pênalti na primeira etapa do jogo contra o Sport, pela Série B.

Posteriormente, em abril, o MP-GO ampliou o escopo das investigações, passando a apurar possíveis eventos irregulares em partidas da Série A e de campeonatos estaduais, e assim virou a Operação Penalidade Máxima.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: