Rita Lee

Câncer no pulmão é uma das principais causas de morte no mundo

É importante que as pessoas fiquem atentas aos sintomas e busquem ajuda médica imediatamente em caso de suspeita do câncer de pulmão.

Compartilhe:
Ilustração mostra células anormais no tecido pulmonar. Crédito: iStock

O Brasil perdeu uma das maiores cantoras e compositoras de sua história. Rita Lee nos deixou ontem (8), aos 75 anos, em decorrência de complicações de um câncer de pulmão. A cantora foi diagnosticada com a doença em 2021 e vinha fazendo tratamentos para combatê-la.

Rita Lee Jones nasceu em São Paulo em 31 de dezembro de 1947. Seu pai, Charles Jones, era dentista e filho de imigrantes americanos, enquanto sua mãe, a italiana Romilda Padula, era pianista e incentivou a filha a estudar música e cantar com as irmãs. Ao longo de sua carreira, Rita lançou um total de 40 álbuns, sendo 6 com a banda Os Mutantes e 34 em sua carreira solo. Sempre esteve na vanguarda de movimentos contracultura, sendo uma inspiração para criatividade e independência feminina ao longo de seus quase 60 anos de carreira.

Embora tenha sido apelidada de “rainha do rock brasileiro”, ela achava esse título “cafona” e preferia ser chamada de “padroeira da liberdade”.

O câncer de pulmão que Rita foi diagnosticada, é uma doença que se desenvolve nos tecidos do pulmão, a partir de células anormais que se formam no tecido pulmonar. A causa, geralmente, é em decorrência do tabagismo ou da exposição a substâncias tóxicas, como a exposição a produtos químicos, poluição do ar e histórico familiar.

De acordo com o médico pós-graduado em Medicina Ortomolecular, Dr. Vital Fernandes Araújo, câncer de pulmão é uma das principais causas de morte por câncer em todo o mundo. O diagnóstico precoce da doença é vital para que o tratamento seja mais fácil e eficiente.

Para Araújo, a morte de Rita Lee é uma triste lembrança de que o câncer de pulmão é uma doença grave que pode afetar qualquer um. É importante que as pessoas fiquem atentas aos sintomas e busquem ajuda médica imediatamente em caso de suspeita da doença.

“É importante ressaltar que o câncer de pulmão está diretamente relacionado ao tabagismo. Cerca de 85% dos casos são atribuídos ao consumo de cigarros. Portanto, é fundamental que as pessoas evitem o tabagismo e busquem um estilo de vida saudável para prevenir o desenvolvimento da doença”, afirma o médico.

Sintomas e tratamento

O médico aponta os principais sintomas deste tipo de câncer. “Os sintomas do câncer de pulmão podem incluir tosse persistente, falta de ar, dor no peito, perda de peso inexplicável e tosse com sangue”, afirma. “O diagnóstico é geralmente feito por meio de uma combinação de exames de imagem, como tomografia computadorizada e radiografia, além de exames laboratoriais. O tratamento depende do tipo e estágio do câncer, mas pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia e terapia alvo”, elenca.

Uma das piores complicações causadas pelo câncer de pulmão é a formação de metástase, quando as células cancerígenas se espalham por outras partes do corpo, o que pode tornar o tratamento mais difícil. O câncer de pulmão pode se espalhar para os ossos, fígado e cérebro, mas também para outras áreas do corpo.

Para pacientes com câncer avançado, o tratamento geralmente se concentra em aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida. Apoio familiar se torna fundamental nesta fase da doença. “O apoio emocional e o acesso a recursos de cuidados paliativos podem ser importantes para ajudar a lidar com os efeitos físicos e emocionais do câncer de pulmão”, afirma o profissional de saúde.

Quer receber notícias no WhatsApp?
Ao entrar você esta ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Compartilhe:
error: