Tortura e extorsão

PMs acusados de colocar sacola na cabeça de mulher são indiciados

O caso ocorreu na noite de domingo (1º), em um bar de Novo Hamburgo, no Vale do Sinos. Os dois policiais militares estão presos.

Compartilhe:
Foto: reprodução de vídeo / Divulgação

A Brigada Militar indiciou, nesta sexta-feira (6), dois agentes que colocaram uma sacola plástica na cabeça de uma mulher durante uma abordagem. O caso ocorreu na noite de domingo (1º), em um bar de Novo Hamburgo, no Vale do Sinos. Os dois servidores estão presos no Batalhão de Polícia e Guarda, em Porto Alegre, desde quarta-feira (4), um dia após o caso se tornar público.

O resultado do IPM (Inquérito Policial Militar), realizado pela Corregedoria-Geral da Brigada Militar, apontou que transgressão disciplinar dos investigados. Os dois policiais devem responder pelos crimes militares de tortura e extorsão qualificada. Ambos serão processados no âmbito da Justiça Militar, pois os crimes investigados ocorreram durante o horário de serviço.

Os agentes podem ser excluídos dos quadros da Brigada Militar por causa da trangressão disciplinar. Ontem, por meio de nota, a Corregedoria apontou que a atitude dos servidores era “incompatível com a atividade policial militar”.

Chamados a depor duas vezes sobre o caso, os dois militares optaram em ficar em silêncio. Os policiais militares já haviam sido afastados das funções desde segunda-feira (2), quando a Brigada Militar tomou conhecimento dos fatos e da identidade dos envolvidos.

A abordagem ocorreu em um bar do bairro São José, na noite de domingo (1°). Os dois PMs teriam adentrado no local, ordenado que todos saíssem e rendido a mulher e o marido dela. Ela relata que os policiais teriam apontado a arma para a cabeça do seu companheiro, que teria sido agredido e foi algemado.

No vídeo que gravou o abuso de autoridade sob investigação, o homem aparece de joelhos, com as mãos para trás. Um od PMs coloca uma sacola plástica sobre a cabeça da mulher. Ela também estava, durante todo o vídeo, com as mãos para trás.


Compartilhe: