Atos golpistas

Mais 170 são presos após onda de depredações em Brasília

Compartilhe:
Bolsonaristas presos em Brasília. Foto: reprodução / TV Globo

Ao menos 170 bolsonaristas foram presos após os atos de vandalismo ocorridos em Brasília neste domingo (8). O Congresso Nacional, Palácio do Planalto e STF (Supremo Tribunal Federal) foram invadidos e depredados. Os atos são organizados por manifestantes que não aceitam a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas urnas.

Conforme a Polícia Civil do DF, as prisões estão ocorrendo por meio de flagrante delito. Os procedimentos policiais estão sendo finalizados pelas unidades do Departamento de Polícia Especializada. Todos os presos são investigados por participar dos atos criminosos praticados contra as sedes dos Poderes da República.

Policiais militares tentaram conter participantes de ato antidemocrático com spray de pimenta, mas o contingente pequeno não evitou o avanço dos golpistas. Após invadirem o Congresso Nacional, o grupo quebrou vidros e invadiram o STF. O Plenário do Supremo foi vandalizado.

Intervenção na segurança do DF

Mais cedo, o Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) determinou a intervenção na segurança pública do Distrito Federal. O interventor será Ricardo Garcia Cappelli, secretário-executivo do Ministério da Justiça, e poderá usar inclusive as Forças Armadas para desalojar atos golpistas.

A medida chega após a polícia do DF ser acusada de “fazer vista grossa” para a insurreição promovida por bolsonaristas contra as instituições democráticas em Brasília.

“Aquelas pessoas que chamamos de fascistas, o que há de mais abominável na política, invadiram a sede do governo, invadiram a sede do Congresso Nacional, invadiram a Suprema Corte, como verdadeiros vândalos, destruindo o que encontraram pela frente”, disse Lula em Araraquara (SP), aonde ele viajou para verificar estragos provocados pelas chuvas na região.

Segundo Lula, “fascistas fanáticos fizeram o que nunca foi feito na história deste país”. “Vamos descobrir os financiadores, e todos eles pagarão com a força da lei por esse gesto antidemocrático, esse gesto de vândalos e fascistas”, declarou.

O presidente ainda acusou Bolsonaro de insuflar os golpistas e pediu punições “exemplares” para os invasores, “de forma a que ninguém nunca mais ouse, com a bandeira nacional nas costas pra se fingir de nacionalista, fazer o que eles fizeram hoje”.

Mais cedo, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, pediu desculpas aos chefes dos Três Poderes, classificou como “inaceitáveis” os atos e prometeu apurar responsabilidades.


Compartilhe: