Onda de calor

Rio Grande do Sul deve registrar máximas de 40°C

As temperaturas vão se elevando dia após dia e atingem valores desconfortáveis para ficar ao sol à tarde. O INMET emitiu um alerta por causa das altas temperaturas.

Compartilhe:

O Rio Grande do Sul será atingido por uma forte onda de calor em plena primavera, com temperaturas próximas de 40°C. O fenômeno climático deve ocorrer até, pelo menos, o próximo fim de semana. O INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu um alerta por causa das altas temperaturas.

Nos próximos dias, o tempo firme predomina em boa parte do Rio Grande do Sul. As temperaturas vão se elevando dia após dia e atingem valores desconfortáveis para ficar ao sol à tarde. Na sexta-feira, as máximas chegam em torno dos 40°C sobre a região Noroeste, Central, Fronteira Oeste e Campanha.

No Norte, nos Vales do Taquari e do Rio Pardo, e em parte da região Sul, as temperaturas chegam aos 36°C. Em Porto Alegre, região metropolitana, Serra e Litoral, as máximas variam entre 30 a 35°C. O ingresso de umidade vinda do mar impede o avanço rápido dos termômetros.

Por conta das altas temperaturas, o INMET emitiu um aviso de perigo potencial, na cor amarela. Conforme o órgão, as temperaturas ficarão acima da média a partir de amanhã (7) até a noite de sexta-feira (9). Os cuidados com a saúde devem ser reforçados (leia mais abaixo).

Foto: Alex Rocha/PMPA

A umidade do ar também fica baixa em áreas da Metade Oeste, favorecendo a evapotranspiração da água do solo e o risco de queimadas.

Há chance de volumes de chuva significativos apenas nas áreas da fronteira oeste e Sul gaúcho entre a quinta (8) e a sexta-feira (9). No final de semana, as instabilidades tendem a se espalhar em praticamente todas as regiões, podendo trazer volumes pontualmente elevados de chuva na metade oeste e extremo sul.

No ano início do ano, o Rio Grande do Sul foi atingido por uma onda de calor que durou cerca de duas semanas. Na Argentina, Buenos Aires teve, em 11 de janeiro, o segundo dia mais quente registrado desde que os registros meteorológicos começaram no ano de 1906. A temperatura oficial foi de 40,9°C, segundo o Serviço Meteorológico Nacional argentino. O calor causou cortes de energia elétrica por causa da alta demanda e deixou mais de 1 milhão de pessoas

Como se proteger do calorão

Para enfrentar temperaturas tão extremas, é preciso reforçar a hidratação e evitar a exposição a ambientes quentes e exposição direta ao sol. Os dias de calor podem afetar, principalmente, idosos, crianças, hipertensos e diabéticos. O acesso à agua deve ser fácil e o consumo deve ser incentivado, mesmo que a pessoa diga que não está com sede.

As intensas temperaturas também podem causar exaustão pela perda excessiva de água e sal. Os sintomas podem incluir a transpiração, fraqueza, tonturas, náuseas, dor de cabeça, cãibras musculares e diarreia.


Compartilhe: