Operação Intocáveis

Presos integrantes de quadrilha que assaltou banco em Porto Alegre

Crime ocorreu em março na avenida do Forte, em março de 2022. Entre os presos está um policial militar da reserva.

Compartilhe:

A Brigada Militar e Polícia Civil do Rio Grande do Sul, com apoio da Polícia Civil de Santa Catarina deflagrou nesta quinta-feira (8) a “Operação Intocáveis”. Os alvos são integrantes de uma organização criminosa que atacou uma agência bancária na avenida do Forte, na zona norte de Porto Alegre, no dia 16 de março de 2022. Quatro integrantes da quadrilha foram presos no dia do assalto, mas a investigação identificou mais indivíduos pertencentes ao conluio. Dentre os alvos, está um policial militar reformado.

Na ação desta quinta-feira, foram cumpridas mais de 50 ordens judiciais de busca e de apreensão contra os suspeitos. Seis indivíduos foram presos, sendo que uma prisão não tem relação com o assalto. O indivíduo foi detido  em flagrante por porte irregular de arma em Santa Catarina.

Duas prisões ocorreram em Porto Alegre, duas em Jaguaruna, uma em Cachoeirinha e outra em Gravataí. Os mandados foram cumpridos em Porto Alegre, Gravataí, Canela, Canoas, Alvorada, Viamão, Cachoeirinha e Jaguaruna (SC).

Durante as investigações sobre o fato, foram encontrados indícios da participação de, pelo menos, outros quatro homens. Entre os presos, está um 2° sargento da reserva que, segundo as investigações, participou da execução de, no mínimo, um assalto. Com o militar, foram apreendidas duas armas de fogo calibre 380. O militar da reserva foi encaminhado pela corregedoria-geral da Brigada Militar ao presídio militar, em Porto Alegre.

Conforme a Polícia Civil, no balanço final da operação, foram apreendidos documentos, celulares, um rádio comunicador, duas pistolas calibre .380, um veículo Gol, ano 2017; maconha, um revólver calibre 38 e munições. Ao todo, 150 policiais, entre civis e militares, dos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, participaram da Operação. A investigação é da 1ª DR (Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos) do DEIC (Departamento Estadual de Investigação Criminal).

Policial civil veste um colete à prova de balas e carrega um malote com a expressão "DEIC". Ele está de costas e é possível ler "Polícia Civil DEIC". Ao fundo, é possível ver uma grade e um portão residencial.
Foto: Polícia CIvil / Divulgação

Como foi o assalto a banco

O ataque ao banco ocorreu por volta das 9h30 da manhã de 16 de março de 2022. Cinco criminosos chegaram ao local e renderam vários funcionários dentro da agência, mediante emprego de armas de fogo. Testemunhas que viram a chegada dos criminosos acionaram policiais civis que atuam na 14ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre, que não fica muito distante do local da tentativa de assalto.

Os policiais da 14ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre se deslocaram até o local e acionaram mais guarnições da Polícia Civil e reforço da Brigada Militar.

Quatro assaltantes foram presos em flagrante. Nenhum funcionário da agência e nem os policiais ficaram feridos na ação.

Um dos suspeitos, ao tentar empreender fuga do local portanto um simulacro de arma de fogo, acabou ferido e morreu. Ele estava, segundo a polícia, com luvas cirúrgicas para não deixar impressões digitais no banco e dificultar a identificação como participante do roubo. O tiroteio ocorreu em um acesso lateral do banco.


Compartilhe: