Cerimônia

Lula e Alckimin recebem diplomas de presidente e vice do TSE

Presidente eleitor lembrou prisão em Curitiba, chorou e disse que “o povo reconquistou direito de viver em democracia”. Ministro Alexandre de Moraes também discursou e garantiu que grupos antidemocráticos serão responsabilizados.

Compartilhe:
O presidente do TSE, Alexandre de Moraes e o presidente eleito Lula seguram o diploma. Moraes está com uma toga preta. Lula de terno e gravata vermelha.
Momento em que o presidente eleito Lula recebe seu diploma. Foto: reprodução / TSE

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB) foram diplomados nesta segunda-feira (12). A cerimônia, que marca o fim do processo eleitoral de 2022, ocorreu na sede do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), em Brasília.

O cerimonial começou pouco depois das 14h20, no Plenário do Tribunal, com apresentação dos ministros. A diplomação começou, oficialmente, às 14h34 com a execução do Hino Nacional pela Fanfarra do 1º RCG (1º Regimento de Cavalaria de Guardas), os Dragões da Independência, que foi regida pelo 2º tenente Cláudio Márcio Araújo da Luz.

Após o hino, o presidente do TSE leu o conteúdo e entregou os diplomas ao presidente da República eleito e ao seu vice. Lula recebeu o diploma às 14h38, com o coro de “Olê, olê, olá, Lula, Lula”. Alckmin, por sua vez, recebeu às 14h40, sob uma salva de palmas.

Em seguida, o presidente diplomado proferiu seu discurso. O primeiro momento foi de cumprimentar os presentes, com palmas quando o presidente diplomado citou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e José Sarney (MDB).

De improviso, ele agradeceu o povo brasileiro pela honra de chegar ao terceiro mandato. “Em primeiro lugar quero agradecer ao povo brasileiro pela honra de presidir pela terceira vez o Brasil. Em minha primeira diplomação, em 2002, lembrei ousadia do povo brasileiro em conceder para alguém tantas vezes questionado por não ter diploma universitário, um diploma…”, disse chorando. “Esse diploma é do povo que reconquistou o direito de viver em democracia. Vocês ganharam esse diploma”, arrematou.

Após o improviso, ele passou a ler o discurso. Lula criticou quem tentou invalidar o processo eleitoral. “Os inimigos da democracia lançaram dúvidas sobre as urnas eletrônicas, cuja confiabilidade é reconhecida em todo o mundo. Criaram obstáculos de última hora para que eleitores fossem impedidos de chegar a seus locais de votação. […] Semearam a mentira e o ódio, e o país colheu uma violência política que só se viu nas páginas mais tristes da nossa história. Mas a democracia venceu”, concluiu.

O presidente diplomado afirmou que povo quer participação ativa nas decisões de governo. Por isso, segundo Lula, a democracia é garantir alimentação de qualidade, é ter emprego, saúde, educação, segurança e moradia. Ele agradeceu a vitória, assumindo compromisso de “construir um verdadeiro Estado democrático, garantir a normalidade institucional e lutar contra injustiças”.

Alexandre Moraes cita ataques covardes ao Judiciário

Na sequência, o ministro Alexandre de Moraes também fez um discurso, cheio de críticas a quem tentou manipular a eleição por meio de informações falsas. Chamou de covardes aqueles que tentaram prepertar ataques aos ministros do TSE, do STF (Supremo Tribunal Federal) e ao processo eleitoral. “A Justiça eleitoral se preparou para combater com eficácia, eficiência e celeridade os ataques antidemocráticos ao Estado de Direito. E os covardes ataques e violências pessoais aos seus membros e todo Poder Judiciário”, afirmou Moraes.

“Essa diplomação atesta a vitória plena e incontestável da democracia e do Estado de Direito contra os ataques antidemocráticos, contra a desinformação e contra o discurso de ódio proferidos por diversos grupos organizados que, já identificados, garanto serão integralmente responsabilizados. Para que isso não retorne nas próximas eleições”, garantiu o presidente do TSE.

Ao fim do discurso de Moraes, um dos presentes gritou “Viva a democracia!”


Compartilhe: